Tudo a Ver

Tudo a Ver

Por Antônio de Oliveira

Carnaval do Rio: ricas e criativas alegorias. Jesus nutria inteligências e corações com parábolas. De metáforas nos fartamos, almoço e janta. Alimentamos e ruminamos e remoemos ideias e emoções. Mas “philosophy makes no bread”: Ideologia não enche barriga. Haja vista os discursos vazios mastigados pelos políticos, o que nos deixa a alma a ferver, a discussão esquenta, o sangue fervilha nas veias. Nosso organismo não digere lábias. Melhor seria degustar receitas palatáveis. Não dá mais para engolir. Ou se come de raiva. E não se nutre. Um bate-papo que não enche o papo. Mas tapeia. Força da abstração, fome de votos, eleitor no papo. Nunca antes, na culinária deste país, se serviu tanta gororoba. Desse jeito dá enjoo e vontade de vomitar. O líquido reflui.

A ambição devora nossas autoridades e políticos, que consomem nosso tutu. Nossos doces sonhos se tornam amargos e se vão no prato feito de mexido azedo e indigesto que eles nos servem cozinhando o galo com ideias refogadas e grelhadas no forno, em fogo baixo, em banho-maria. Nutrem, desnutrem nossa esperança com saladas de promessas. O mercado não aquece. O povo sobrevive raspando o fundo do tacho enquanto eles e seus comensais se refestelam em regabofes, vinho e uísque.

Cl-Fd_Saint-Eutrope-vitrail1B

Passamos a vida pensando, falando e pisando metáforas, pois elas põem a mesa. Que o digam economistas e chefes de cozinha. A semelhança do título, em português, do filme O Carteiro e o Poeta, poderia ser feito O Cozinheiro e o Poeta. No fundo, poesia é metáfora. Vejam só! Sarcástico, em grego, significa comer carne e se relaciona com sarcófago, literalmente um túmulo para a carne, comedor de carne, carnívoro. Também o homem do campo faz uso de metáforas à saciedade. E ainda há quem não aprecie poesia.

Panela velha é que dá comida boa vai além, por analogia, do seu significado literal. Finalmente, a bíblia manda comer o livro, de sorte que a nossa boca se torne doce de onde corre leite e mel.

[author] [author_image timthumb=’on’]https://www.duniverso.com.br/wp-content/uploads/2014/03/foto-antonio-oliveira.jpg[/author_image] [author_info]O professor Antônio de Oliveira, cronista fascinante, é Mestre em Teologia pela Universidade Gregoriana de Roma, na Itália. Licenciado em Letras e em Estudos Sociais pela Universidade de Itaúna; em Pedagogia e em Filosofia pela Faculdade Dom Bosco de Filosofia, Ciências e Letras de São João del Rei. Estágio Pedagógico na França. Contato: antonioliveira2011@live.com[/author_info] [/author]

Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Vida inteligente na WEB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.