Podcasts: de cultura e política à solução de crimes

Podcasts: de cultura e política à solução de crimes

Formato de conteúdo digital ganha espaço e oferece múltiplas opções de temas e assuntos, ajudando até a desvendar crimes e mistérios

A internet transformou definitivamente o acesso e a distribuição de conteúdos, sejam eles  voltados à informação, entretenimento ou cultura. E as formas como esses conteúdos são transmitidos mudam dinamicamente, se reinventando e inovando possibilidades de comunicação entre locutores, influencers, expectadores e o público, cada vez mais exigente e seletivo.

Depois da febre dos blogs e dos youtubers, um novo formato de transmissão de conteúdo online vem ganhando adeptos fiéis ao redor do mundo: os podcasts, que chegaram para ficar.

Afinal, o que é um podcast?

Especula-se que o termo podcast tenha origem na junção das palavras “pod” (em referência ao Ipod da Apple, um dos primeiros dispositivos players de arquivos digitais de áudio e música) e a palavra “broadcast”, que significa transmissão.

Em linhas gerais, os podcasts se assemelham muito ao formato dos programas de rádio, mas com a diferença que, como cada episódio é transmitido digitalmente, podem ser acessados a qualquer momento, de acordo com a vontade e disponibilidade de seus ouvintes. Isso já acontece, por exemplo, com os espectadores dos filmes e séries transmitidos nas plataformas de streaming, como a já popular Netflix.

Além disso, os podcasts costumam ser divididos em assuntos que vão dos mais populares como cinema, humor, games, notícias, TV, esportes até segmentos mais especializados, como política, moda, literatura, economia, comportamento.

“Eu escuto podcasts porque eles aprofundam as informações. Os que gosto têm um tema especial, sempre atual, e os apresentadores estudam muito sobre o assunto, constroem um conteúdo muito completo”, conta a jovem diretora de arte Ana Cattini (26), de São Paulo.

Os podcasts que atuaram em desfechos no mundo real

Um dos temas que atraem milhões de ouvintes são os podcasts sobre investigações criminais. Alguns mistérios até então não resolvidos são abordados meticulosamente em episódios em série, capazes de revelar novos detalhes aos ouvintes e, em alguns casos, até reabrir e concluir investigações policiais sem desfecho.

Foi o que aconteceu em 2018 na Austrália, mais precisamente em Queensland. O podcast The Teacher’s Pet (algo como “aluno favorito do professor”, em tradução livre), produzido pelo site de notícias The Australian, começou a gerar interesse mundial sobre o desaparecimento de Lynette Dawson, à época com 33 anos, quando sumiu em um dia comum sem deixar rastros no ano de 1982.

Ela era casada com Chris Dawson, professor de educação física e pai de seus dois filhos. A polícia não encontrou o corpo e, após ter considerado Chris como suspeito, logo teve de arquivar o caso por falta de provas.

O surgimento dos 14 episódios do podcast (que até o ano passado já contabilizava mais de 18 milhões de downloads) foi crucial para esmiuçar detalhes do misterioso desaparecimento de Linette. O programa colheu depoimentos de testemunhas que não foram ouvidas na época do caso e trouxe mais detalhes do caso extraconjugal que Chris manteve com uma aluna de 16 anos no período do desaparecimento da esposa.

Graças aos trabalhos investigativos do jornalista Hedley Thomas, apresentador do podcast, e seu sucesso entre os ouvintes, a polícia reabriu o caso com novas suspeitas recaindo sobre o marido.

Ainda sem o corpo de Lyn – e com a família sem a possibilidade de um sepultamento formal, com coroa de flores e uma lápide em sua memória – a sede de justiça para a jovem mãe e esposa levou os investigadores à reavaliação de evidências do terreno da casa dos Dawson, usando então tecnologias que não estavam disponíveis na década de 1980.

A soma dos detalhes levantados pelo podcast, como os novos relatos de testemunhas e o apontamento de falhas investigativas, ajudou a polícia australiana a direcionar novos recursos  para a prisão de Chris Dawson, aos 70 anos de idade.

Recentemente, outro podcast criminal, o Countdown to Capture, ajudou a encontrar um milionário foragido pelo assassinato de sua esposa. No último dia 4 de agosto, Peter Chadwick, de 55 anos, foi preso no México e extraditado para seu julgamento nos Estados Unidos.

Chadwick estava foragido desde 2015, quando disse à polícia que um funcionário de reparos da casa havia assassinado sua esposa Quee Choo após a fazer refém dentro de sua casa em Newport Beach, na Califórnia.

Mas, mesmo com depois de encontrarem o corpo de Choo abandonado em uma lixeira em San Diego e detectarem sangue debaixo das unhas e arranhões no pescoço do marido, ele foi liberado mediante ao pagamento de uma fiança de 1 milhão de dólares e desapareceu.

Depois dos programas transmitidos pelo podcast, diversas denúncias de vários países que levaram a polícia a encontrar o paradeiro de Chadwick, que foi capturado com documentos falsos. Ele foi formalmente acusado de homicídio e pode pegar prisão perpétua.

Os podcasts investigativoa são só um exemplo de como este tipo de conteúdo é capaz de mobilizar muitos ouvintes. O Spotify, um das maiores nomes no segmento de streaming global, listou os gêneros de podcasts mais ouvidos no mundo em 2018. Em primeiro lugar estiveram Crime e Mistério, seguidos de Comédia (2º), Notícias e Política (3°), Saúde (4º) e Artes (5º).

Grande abraço!

Press Office

Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Vida inteligente na WEB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.