Mercearia Paraopeba, uma Estrada Real que dá show

Mercearia Paraopeba, uma Estrada Real que dá show

Já há algum tempo venho planejando escrever este tema aqui no Duniverso, e a hora é agora.
Sem falso saudosismo, ou coisa parecida, a cidade de Itabirito, Minas, aqui na pele da Mercearia Paraopeba dá um exemplo de o que eu chamo de “Solidariedade Sustentável” (se é que existe solidariedade não sustentável, rs).
Não são atores profissionais que o compõe e sim “profissionais da vida humana”.
Não vou explicar do que fala o vídeo, pois só assistindo para decifrar.
Alguns ficarão perplexos, outros recordarão seus momentos e uns, como eu, se apaixonarão!

Com grande qualidade técnica este vídeo foi produzido a partir de uma pesquisa para o livro Caminhos do SaborA Estrada Real, do jornalista Rusty Marcellini.
Seus protagonistas são José Augusto (Juca) e Roninho, pai e filho.
Vale a pena!
Forte abraço!

Imagem: saiadolugar.com.br

Fontes:
YouTube.com
saiadolugar.com.br
vermelho.org.br

Indicação:
Leonardo Thimotti

Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Vida inteligente na WEB.

2 comentários em “Mercearia Paraopeba, uma Estrada Real que dá show

  • 10/08/2010 em 02:00
    Permalink

    Que Post Fantástico!
    Amigo Thomas:
    Eu demorei a retornar porque fiquei assistindo o vídeo inúmeras vezes. Devo lhe dizer que o documentário em tela é um verdadeiro tributo aos dirigentes da Mercearia Paraopeba. Em primeiro lugar, as ações comerciais estão voltadas a uma vasta clientela que sabe escolher a dedo os bons produtos e segundo, o montante de pessoas que se beneficiam com certeza é incalculável, uma vez que, a cadeia é extensa. Além de se beneficiar o comercio local, devem ser contempladas centenas de famílias, até porque, o número de produtos comercializados deve ultrapassar a casa de um mil.
    Agora, não devemos esquecer que quem mais ganha com tudo isso é a comunidade em geral.
    Parabenizo-o por sua generosidade em compartilhar tão importante vídeo!
    Parabéns por mais uma excelente matéria!
    Abraços fraternos,
    LISON.

  • 10/08/2010 em 19:52
    Permalink

    Meu amigo, FANTÁSTICA essa história.Tive até alguns flashs da minha infância, quando meu pai teve uma mercearia. Óleo a granel, arroz, feijão, linguiças e toucinho pendurados. Muito parecido.

    Agora, o Roninho e o pai são geniais. Só no interior do Brasil mesmo para se cultivar esse respeito pelo próximo, para incentivar o crescimento de todos os envolvidos na vida comunitária.

    É, quanto mais vejo, mais tenho a certeza: precisamos “ruralizar” nossa urbanidade. Só assim, teremos um mundo verdadeiramente justo.

    Parabéns por apresentar este este vídeo.

    Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.