Fios de Ariadne

Fios de Ariadne

Por Antônio de Oliveira

Da mesma maneira como se diz que a arte imita a vida e a vida imita a arte, pode-se dizer que a mitologia retrata a realidade e a realidade retrata a mitologia. Tanto que Freud, lá do fundo do inconsciente, recorreu à mitologia para criar uma nomenclatura que se adaptasse à psicanálise, como o famoso complexo de Édipo. Os deuses do Olimpo e os mortais da mitologia, como Hércules, mantêm-se imortais, com força hercúlea.

Conforme a mitologia grega, no caso, Teseu, um jovem herói ateniense, solicitou ser incluído entre os sete rapazes e sete moças que deveriam ser entregues, todos os anos, a Creta, sob a forma de tributo, para saciar a fome do Minotauro, que se alimentava de carne humana. Em Creta, encontrando-se com Ariadne, a filha do rei Minos, Teseu recebeu dela um novelo que deveria desenrolar ao entrar no labirinto, onde o Minotauro vivia encerrado, para encontrar a saída. Entrou no labirinto, matou o Minotauro e, com a ajuda do fio que desenrolara, encontrou o caminho de volta.

fio-de-Ariadne-Teseu-Minotauro

Bem que uma primeira comparação poderia ser feita, entre o Minotauro e o governo, juntando-se a fome com a vontade de comer, à espera de um Teseu disposto a encontrar o fio condutor para uma reforma tributária e uma reforma política decentes. Mas vou me deter noutra analogia. Tanto tempo depois, os fios de Ariadne podem ser comparados aos atuais fios que fazem a gente atravessar verdadeiros labirintos para encontrar uma saída para tantos problemas. Ou, se não, em sentido figurado, a comparação fica por conta dos fios de Ariadne de hoje, ou melhor, dos sem fio de Ariadne que funcionam graças à tecnologia wireless embutida em modernos aparelhos eletrônicos por aí.

minotauro-de-conimbriga

Alguém poderá dizer que não tem nada a ver. Eu, por mim, acho que tem tudo a ver. Para mim, a própria história é um fio de Ariadne. Mas resta sempre encontrar uma saída definitiva e honrosa para a humanidade. Rumo não apenas a momentos de trégua, mas à paz mundial.

[author] [author_image timthumb=’on’]https://www.duniverso.com.br/wp-content/uploads/2014/03/foto-antonio-oliveira.jpg[/author_image] [author_info]O professor Antônio de Oliveira, cronista fascinante, é Mestre em Teologia pela Universidade Gregoriana de Roma, na Itália. Licenciado em Letras e em Estudos Sociais pela Universidade de Itaúna; em Pedagogia e em Filosofia pela Faculdade Dom Bosco de Filosofia, Ciências e Letras de São João del Rei. Estágio Pedagógico na França. Contato: antonioliveira2011@live.com[/author_info] [/author]

Imagens: pt.wikipedia.org

Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Vida inteligente na WEB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.