Fatos que você desconhece sobre o poste de luz

Fatos que você desconhece sobre o poste de luz

A entrada de energia em empresas ou residências é realizada por meio de um poste que, geralmente, é alimentado pelo fornecimento que vem das concessionárias

Ter acesso à energia elétrica é um direito de todos, independente do imóvel que receberá esse serviço. Por questões de controle adequado de distribuição e segurança, é necessário que alguns padrões sejam estabelecidos.

Nesse artigo, você vai aprender como funciona o sistema de distribuição de energia por meio de postes, além de conhecer as formatações necessárias para que a eletricidade seja fornecida dentro das especificidades normativas.

Um pouco de história da iluminação no Brasil

A luz da lua e do fogo eram as principais fontes de iluminação que os indígenas usavam para clarear suas noites. Em 1550, os portugueses trouxeram a luz da lamparina, que era gerada por meio de óleos vegetais ou animal.

O óleo de oliva era um dos mais utilizados, mas, como era fabricado somente na Europa, acabava tendo altos custos e somente a nobreza que instalou no Brasil tinha acesso a ele.

Com isso, a iluminação foi sendo “abrasileirada” e as pessoas passaram a usar óleo de coco, de mamona, gordura de peixes e velas fabricadas com cera de abelha. Mas, ainda assim, os produtos não eram utilizados em casas da população pobre.

Até o século XVIII, a iluminação era praticamente residencial. Quando havia festas nas ruas, os moradores iluminavam as frentes de suas casas com velas fabricadas com sebo e gordura.

Foi só a partir do século XIX que os espaços públicos passaram a ser iluminados com óleo de baleia. Na cidade de São Paulo, a luz chegou às ruas em 1830.

Um dado interessante é que eram necessários funcionários que acendessem as luzes de uma a uma, todos os dias.

Rio Claro foi a segunda cidade brasileira a receber luz elétrica, em 1883, em razão da presença de uma termoelétrica. A iluminação é muito importante para as cidades. Ela contribui para a segurança das pessoas, além de garantir a expansão urbana.

De que são feitos os postes de rua

Antigamente, a estrutura dos postes era feita de madeira. O avanço tecnológico fez com que outros materiais passassem a ser utilizados: fibra de vidro, plástico, concreto e aço. Essa nova estrutura gera maior segurança e diminui os custos de manutenção.

Materiais colapsíveis – Os materiais utilizados na confecção de postes  fazem com que eles sejam deformados em caso de colisão com um automóvel. Isso evita acidentes graves.

Fotocélulas – Esses sensores servem para que a iluminação ocorra gradativamente, tendo como referência a luminosidade natural. Eles detectam momento em que a luz do vai desaparecendo e, assim, acionam a luz artificial.

Distância – Em São Paulo, a distância entre os postes é, em média, de 40 metros. Em áreas rurais, essa distância pode aumentar.

Como deve ser o padrão de um poste para ligação de energia elétrica em imóveis

Instalar um poste em um imóvel exige algumas ações fundamentais para que a sustentação da fiação e segurança sejam eficazes. Por isso, todos os postes devem seguir um padrão.

A distribuição de energia elétrica é feita por eletrodutos, fios, cabos e caixas de passagem. A energia sai do poste e vai até o quadro geral de distribuição. Em seguida, chega aos interruptores e bocais de luz.

Especificações –  Um poste já  vem com as especificações corretas para a ligação da luz. Suas medidas são as seguintes: altura útil entre 6 e 12 metros , com diâmetro nominal de 76 mm no topo.

Ele pode estar disponível em três versões: monofásico, bifásico e trifásico. Esses são utilizados de acordo com a potência elétrica total de todos os equipamentos ligados à rede.

Rede monofásica – A ligação da energia elétrica é feita com dois fios: fase e neutro. Instalações desse tipo proporcionam tensões elétricas máximas de 127 V e só são utilizadas quando a potência máxima de todos os equipamentos residenciais chega a 8000 watts.

Rede bifásica – A ligação é feita com três fios: dois fases e um neutro. As tensões elétricas são de 127 V e 220 V. Essa rede é usada quando a potência total dos equipamentos ligados à rede varia entre 12.000 e 25.000 watts.

Rede trifásica – A ligação é feita com três  fios fases e um neutro. As tensões elétricas são de 127 V ou 220 V. As potências de todos os equipamentos ligados à rede variam entre 25.000  e 75.000 watts.

Instalação e ligação de postes

Custo – O custo do poste depende dos requisitos de redes e voltagens. Pode variar entre R$600,00 e R$ 1.900,00. Esses valores dizem respeito apenas ao poste em si e não estão inclusos gastos com fiações, disjuntores e mão de obra.

Instalação – A compra do poste já inclui a instalação. No entanto, o buraco onde ele será instalado deve estar preparado. A empresa que faz a venda fornece as explicações em relação às medidas o buraco: profundidade e diâmetro.

Ligação – A ligação da energia elétrica precisa ser solicitada na agência de fornecimento de luz do município. O processo costuma simples e basta levar documentações do imóvel e do responsável pela solicitação.

Instalações elétricas são trabalhos muito sérios que devem ser realizados por um profissional competente. O poste de entrada deve ficar junto à divisa do terreno com a rua pelo lado de dentro da residência.

O eletroduto fixado no poste por onde entra os fios deve ficar com a ponta virada pra baixo. Isso impede a entrada de água da chuva. No topo do poste há um isolador onde são instalados os fios pela companhia.

Após a instalação de eletrodutos nas paredes e lajes, a melhor opção é colocar fios e cabos flexíveis porque passam com maior facilidade pelos eletrodutos e se acomodam melhor em caixas de tomadas.

Uso de geradores de energia

Uma boa opção para que o acesso à energia de forma ininterrupta, principalmente em locais onde ela é fundamental e seu fornecimento é insuficiente é alugar geradores. As vantagens desse serviço são disponibilidade e economia em gastos mensais.

Além disso, é uma opção segura e facilita o acesso a equipamentos de alta categoria com preços bem acessíveis.

Grande abraço!

Press Office

Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Vida inteligente na WEB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.