“MUNDINHO”

“MUNDINHO”

Quem pratica esteira ergométrica, de certa forma, corre sem sair do lugar; quem lê bastante, por analogia, corre o mundo sem sair do lugar. Emoções, muitas emoções…. Siga o itinerário percorrido nesta crônica.

Por Antônio de Oliveira

Certa vez, referindo-se a uma pessoa sentada num canto, a ler, alguém disse: “Vive no mundinho dela…” Apesar do tom jocoso, não por estar no grau diminutivo, mas no diminutivo mesmo, eis uma grande verdade: Quem lê muito transporta o mundo para dentro de si. Bota o macrocosmo compactado dentro da sua cabeça. Faz do macrocosmo um microcosmo, um mundinho.

Cruza o Atlântico, o Pacífico, o Mediterrâneo, o Mar do Norte e o Adriático. O equador e os trópicos. Visita a América do Sul, a América Central, a América do Norte. Europa, Ásia, África, Oriente Médio, Terra Santa… Aprende geografia e história. Dá a volta ao mundo. Viaja de avião, de veleiro. Monta a cavalo. Viaja a pé. De bicicleta e de moto. Percorre os quatro cantos da terra. Vai da pré-história ao coronavírus.

Grandes catedrais, museus famosos. Gente, sim, muita gente, Montanhas, cânions, fiordes, cascatas. Põe-se em contato com povos indígenas, línguas diferentes. Um caleidoscópio. Música. Ah! A música. Grandes compositores. Absorve noções de política, geopolítica. Debruça-se sobre os filósofos, cientistas, pesquisadores. Enriquece sua visão de mundo.

Dos Apeninos aos Andes. Do oriente ao ocidente. De leste a oeste; de norte a sul. Veste alma de alpinista. Olha para cima. Para os astros lá de cima e cá embaixo. O mundo visto de cima. Convive numa boa com a flora e a fauna. Para variar, acompanha as guerras. Fausto, riquezas, pobreza, miséria. A cabeça carrega um mundinho: “Vive no mundinho dela…”

Aprendi a ler, e a gostar de ler, num antigo Grupo Escolar. No interior de Minas Gerais. Na aurora de minha vida. Por coincidência, minha professora se chamava Aurora. Resumo da história: Na mesa da sala da diretoria, um globo terrestre. Esse ícone ficou na minha cabeça: Aprender para ler e ler para dar a volta ao mundo; viver a vida… Fazer do mundão um mundinho. Com todas as perguntas. Mesmo que respostas eu não as tenha… Mas vale a aventura da vida. Ler é alimento da alma.

Professor | Escritor |  Poeta
Antônio de Oliveira
| Professor | Escritor | Poeta
endereço:  Belo Horizonte Minas Gerais

Imagem: shc.hu

Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Vida inteligente na WEB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.