Matrícula no ensino superior à distância aumentou 45% de 2016 a 2018

Matrícula no ensino superior à distância aumentou 45% de 2016 a 2018

Com isolamento social, pesquisas sobre especialização à distância crescem 130%, aponta levantamento do Google

Durante a quarentena, a procura por cursos à distância aumentou. Ao passar mais horas em casa, muitas pessoas têm aproveitado para driblar a rotina, que pode ser, muitas vezes, estressante ou para se distrair de forma produtiva, e passaram a aprender novas habilidades, ou se especializar e se preparar para o mercado de trabalho, investindo em aulas remotas.

No entanto, a procura por aulas virtuais é uma crescente. Segundo o Censo de Educação Superior de 2018, o número de matriculados em instituições de ensino superior público na modalidade à distância subiu para 173 mil estudantes. Essa quantidade representa um aumento de 45% entre os anos de 2016 e 2018.

O estado de São Paulo retém a maior taxa de matriculados, somando mais de 42 mil. De acordo com o levantamento, os cinco estados com o maior número de candidatos inscritos são: São Paulo (42.787), Rio de Janeiro (35.226), Piauí (11.928), Paraná (10.349) e Maranhão (8.306).

Ainda segundo a análise de dados do censo, ingressaram 27,9% de estudantes nas modalidades EAD entre 2017 e 2018. Já o número de formados em cursos à distância aumentou 8,6% no mesmo período.

Crédito: divulgação

Seja para preencher o tempo livre, lidar com a ansiedade e os sentimentos negativos que podem surgir durante este período de isolamento social ou se aprofundar na área com a qual já trabalha, a busca por educação à distância deu um salto. Prova disso é que, de acordo com a análise do Google, as buscas para especializações à distância aumentaram 130%.

Sites que oferecem cursos online notaram o aumento nas consultas e solicitações de muitas especializações. De acordo com a Catho Educação houve um crescimento na busca por aulas remotas de, aproximadamente, 45% já nas primeiras semanas de março – período em que a quarentena foi intensificada. A empresa também registrou um aumento de quase 70% de matrículas entre os dias 21 de março e 6 de abril. A pesquisa detalha ainda que as áreas mais procuradas são: faculdade de Administração, Logística, Biomedicina, Ciências Contábeis e Gestão de RH.

A pandemia do novo coronavírus não só modificou as relações e reforçou os cuidados com a saúde, como alterou a forma de consumo, trabalho e o mercado. Por isso, investir na educação e ampliar as qualificações é importante para enfrentar os desafios da pós-pandemia, e estar preparado será um diferencial na construção do novo normal.

Grande abraço!

Press Office

Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Vida inteligente na WEB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.