Conheça o “Zero Absoluto”, a menor temperatura que qualquer coisa pode atingir no universo

Conheça o “Zero Absoluto”, a menor temperatura que qualquer coisa pode atingir no universo

Neste caso, começam a acontecer alguns fenômenos colaterais relacionados com a física quântica

O zero absoluto é a menor temperatura existente para um corpo no universo. Nesse estado, provavelmente o planeta se transformaria em um imenso bloco de gelo no meio do espaço. A boa notícia é que, apesar de muitos avanços em laboratório, o zero absoluto ainda é uma teoria que carece de validação.

A ideia de menor temperatura possível para o frio, no entanto, não é nova. Desde a antiguidade, acreditava-se que a origem do frio estaria em alguns elementos da natureza: terra, ar ou, até mesmo, na água. Naturalistas do século XVIII retomaram essa hipótese, juntamente com físicos, químicos e médicos, que tentavam descobrir qual a menor temperatura que um corpo poderia alcançar.

Mas o significado de zero absoluto pode ser diferente do que você imagina. William Thomson, também conhecido como Lorde Kelvin, desenvolveu uma outra abordagem para este fenômeno. A temperatura de um corpo, fisicamente, mede o nível de agitação das moléculas que pertencem a ele.

O zero absoluto seria quando a energia de vibração é completamente igual a zero. Ou seja, as moléculas param de vibrar completamente.

(Crédito: Divulgação)

Neste caso, a temperatura não chega aos pés nem da região mais fria do polo norte e muito menos de um ambiente fechado com o ar-condicionado split ligado no máximo. A escala definida por Lorde Kelvin determinou que o zero absoluto equivale a -273,15 graus Célsius, valor adotado até hoje. Nesse estágio, começam a acontecer alguns fenômenos curiosos e relacionados com a física quântica.

Entre elas estão a supercondutividade, a superfluidez e a condensação de Bose-Einstein. O fenômeno da supercondutividade faz com que um imã possa ser levitado; no caso da superfluidez, um líquido poderia subir pelas paredes de um copo por causa da falta de resistência mecânica; e, por fim, a teoria de condensação de Bose-Einstein, que diz que um corpo de diversas partículas agiria como um condensado, ou seja, como um único átomo, por exemplo.

Mas, fique tranquilo: o zero absoluto é impossível de ser replicado na vida real. A teoria não pode ser aplicada porque nenhum corpo tem a capacidade de parar de vibrar completamente, propriedade necessária para que ele atinja a menor temperatura possível para esse estado. Apesar disso, diversos experimentos atuais já conseguiram chegar próximo do zero absoluto. O recorde de aproximação em laboratório está em 0,000000000001K. Já a temperatura mais baixa registrada no planeta foi na Antártida, em 1983, com uma temperatura de 184K (aproximadamente -89 graus Célsius).

Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Vida inteligente na WEB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.