Besouro soldado: arma militar e espionagem

Besouro soldado: arma militar e espionagem

Cientistas da Universidade da Califórnia em Berkeley conseguiram controlar um besouro rinoceronte via ondas de rádio.
Os pesquisadores controlaram o movimento das asas e algumas outras partes que utilizam sinais de rádio enviados a seis eletrodos instalados no cérebro e nos músculos do inseto.
Os besouros rinocerontes foram escolhidos por terem a capacidade de carregar peso de até 03 gramas e voar carregando o módulo que pesa cerca de 01,3 gramas em suas costas. Entre outras razões, os pesquisadores disseram que a aparência do besouro é legal.
Pode?

Fins militares… será?
Sim.
A Agência de Pesquisa e Projetos Avançados de Defesa (Defense Advanced Research Projects Agency – DARPA) mantida pelos fundos norte-americanos para a pesquisa, declarou que estão realizando o experimento para fins militares.
Segundo eles, besouros rádio-controlados podem ser úteis em lugares demasiados estreitos ou perigosos para um ser humano entrar.
Até aí tudo bem, mas o que um besouro vai fazer lá?
Com uma microcâmera instalada poderão trabalhar como robôs de vigilância ou espiões no lugar dos humanos, diz a universidade alegando que a tecnologia pode ser utilizada para fins pacíficos também (já vi este filme antes…)


Vídeo da façanha divulgado na conferência de MEMS em Sorrento, Itália.

Piratas costumavam enviar seus papagaios em lugares indesejáveis, também.
O que você acha desta história?
Grande abraço!

Fonte:
techon.nikkeibp.co.jp

Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Vida inteligente na WEB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.