AUTOCRÍTICA

AUTOCRÍTICA

Por Antônio de Oliveira

Mea-culpa, ao pé da letra, quer dizer minha culpa. A expressão decorre da oração penitencial, da missa em latim da Igreja Católica, conhecida como Confiteor, título também de um livro de Paulo Setúbal. “Mea culpa, mea culpa, mea maxima culpa”, reconhece o fiel infiel, pois pecador perante Deus e sua consciência. Se pronunciada com convicção e contrição, é a expressão máxima de autocrítica.

Isso vem a propósito de quê? Hoje em dia, e para rimar dia com mídia, além da mídia até então existente, temos as redes sociais. Tomemos qualquer rede de manifestações sociais e acompanhemos o que as pessoas têm a dizer sobre qualquer assunto, e mais, compartilhando: puxa-saquismo, autoelogio, queixas, reclamações, banalidades, críticas, muitas críticas… Não entro no mérito dessas críticas. Mas pergunto: você vê alguma manifestação de autocrítica? Até parece que todo o mundo está errado, menos eu. Aliás, criticar é fácil. Difícil é fazer, agir e agir certo.

São palavras do Salmo CXVI: Todo homem (mulher também) é mentiroso. “Omnis homo mendax.” Afirmativa de frequente aplicação, sobretudo pela preocupante incidência de fake news, “verdadeira” boataria via jornal impresso, revistas, TV, fofoqueiros de plantão, rádio e online. Carlos Drummond, poetando e filosofando, pergunta: “Por que mente o homem? / mente mente mente / desesperadamente? // Por que não se cala, / se a mentira fala, / em tudo que sente?”

Jesus joga pesado contra esse tipo de procedimento, chamando de hipócrita a quem assim procede, sobretudo habitualmente. “Por que reparas tu no argueiro no olho de teu irmão, porém não reparas na trave que está no teu olho?” A palavra argueiro, no caso, é praticamente sinônimo de cisco nos olhos, isto é, coisa pequena, coisa insignificante, de pouca monta. Trave, por sua vez, significa grande tronco, madeiro grosso, viga, bem visível, como num campo de futebol, em que duas hastes, ou duas traves, sustentam o travessão.

Autor: O professor Antônio de Oliveira, cronista fascinante, é Mestre em Teologia pela Universidade Gregoriana de Roma, na Itália. Licenciado em Letras e em Estudos Sociais pela Universidade de Itaúna; em Pedagogia e em Filosofia pela Faculdade Dom Bosco de Filosofia, Ciências e Letras de São João del Rei. Estágio Pedagógico na França. Contato: antonioliveira2011@live.com

Imagem: freeimages.com

Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Vida inteligente na WEB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.