Crítica e Autocrítica

Crítica e Autocrítica

Por Antônio de Oliveira

Costuma haver resistência à crítica. Sobretudo por parte das autoridades. No entanto, diz o adágio popular: repreensão bem dada é palavra abençoada. A melhor crítica, na verdade, continua sendo a autocrítica, aquela que principia por nós mesmos. Mas é muito difícil alguém criticar a si mesmo, as próprias ações e obras, seu partido político, sua empresa, sua igreja, seu comportamento, sua escola, sua cidade, sua família, seu mundo, enfim. Criticar os outros é que é fácil. Mesmo porque é corriqueiro, entre as pessoas públicas, ter o rabo preso e fazer de conta que não sabem de nada. Não é raro enrolar o rabo e sentar-se em cima diante de um negócio fraudulento, um emprego suspeito, maracutaias, nepotismos, mordomias, corrupção. Nem é raro alguém estar comprometido com fatos, situações ilegais ou reprováveis, ou com pessoas envolvidas em tais fatos ou situações. Facilmente se misturam o público e o privado.

fogo-fire-o-que-e-critica-e-autocritica

Não são poucas as pessoas inescrupulosas diante das encruzilhadas morais, preferindo tomar a estrada larga às veredas do bem. “Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela. E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, quão poucos há que optam por ele.” Confirmação de mais esse dito bíblico nós encontramos em qualquer telejornal diário. Abundam os crimes e malfeitos por aí afora, quando não bem diante do nosso nariz.

abstrato-o-que-e-uma-critica

E, em geral, as autoridades estão cercadas de áulicos, bajuladores, ou de pessoas suspeitas, capazes de mentir e até de trair. La Fontaine conclui assim a fábula O Corvo e a Raposa: “Aprendei que todo bajulador vive à custa daquele que ele bajula”.

Ambientes há em que imperam, como regra do jogo, o ciúme, a mentira, a traição, o vício, o crime, o abuso de autoridade, a impunidade, o descaso pela população. Acintosamente. Como se tudo isso fosse normal, como normal é um telejornal.

[author] [author_image timthumb=’on’]https://www.duniverso.com.br/wp-content/uploads/2014/03/foto-antonio-oliveira.jpg[/author_image] [author_info]O professor Antônio de Oliveira, cronista fascinante, é Mestre em Teologia pela Universidade Gregoriana de Roma, na Itália. Licenciado em Letras e em Estudos Sociais pela Universidade de Itaúna; em Pedagogia e em Filosofia pela Faculdade Dom Bosco de Filosofia, Ciências e Letras de São João del Rei. Estágio Pedagógico na França. Contato: antonioliveira2011@live.com[/author_info] [/author]

Imagens: sxc.hu

Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Vida inteligente na WEB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.