Rua Direita

Rua Direita

Por Antônio de Oliveira

Rua Direita não tem que ser em linha reta. Às vezes, até tortuosa pelo fato de se tratar de um lugarejo ou cidade de traçado antigo. Com ironia se diz que a Rua Direita é a mais torta. Tampouco que haja, paralelamente, uma Rua Esquerda. Nos Atos dos Apóstolos, no Novo Testamento, consta que, depois de Saulo ter caído do cavalo e se recuperado do susto, o Senhor disse a Ananias que fosse à Rua Direita, à casa de Judas, à procura de um homem de Tarso, chamado Saulo. Daí, talvez, a tradição de chamar, com essa denominação, a rua que levava os fiéis diretamente à igreja matriz. De certa forma, uma casa de conversão como aquela casa de Judas, localizada na Rua Direita de Damasco, na Síria. A denominação viria, então, da época dos romanos.

Conversao-saulo-Caminho-para-Damasco-Por-Caravaggio

Em algumas cidades do período colonial, como Ouro Preto, aparecem mais de uma rua com a denominação de Rua Direita, talvez porque, dada a existência de várias igrejas, Rua Direita era aquela que conduzia a uma capela ou igreja, independentemente de ser a matriz ou não. Rua Direita é também uma via importante localizada no centro da cidade de São Paulo, que vai da Praça do Patriarca até a Praça da Sé. Consta que havia a Rua Esquerda, hoje denominada Rua 15 de Novembro. Os Originais do Samba cantam Do Lado Direito da Rua Direita. Em Tiradentes localiza-se, na Rua Direita, a Trattoria Via Destra, com especialidades do Piemonte, na Itália.

Matriz-Senhora-do-Pilar-Ouro-Preto-por-Ricardo-Andre-Frantz--Wikimedia

Também o Rio de Janeiro teve sua Rua Direita, hoje Primeiro de Março, além de Praia do Sapateiro (Praia do Flamengo), Rua dos Pescadores (Visconde de Inhaúma), e outros logradouros com nome indicativo de atividade ali outrora exercida.

Em tempo: O nome Rua Direita, ao que me consta, não tem nada a ver com a atual dicotomia ideológica “esquerda e direita”, tanto que a rua paralela à Rua Direita, quando havia, não costumava levar o nome de Rua Esquerda. Não se chegava a essas firulas, hoje ainda retoricamente discreteadas nos jardins acadêmicos.

[author] [author_image timthumb=’on’]https://www.duniverso.com.br/wp-content/uploads/2014/03/foto-antonio-oliveira.jpg[/author_image] [author_info]O professor Antônio de Oliveira, cronista fascinante, é Mestre em Teologia pela Universidade Gregoriana de Roma, na Itália. Licenciado em Letras e em Estudos Sociais pela Universidade de Itaúna; em Pedagogia e em Filosofia pela Faculdade Dom Bosco de Filosofia, Ciências e Letras de São João del Rei. Estágio Pedagógico na França. Contato: antonioliveira2011@live.com[/author_info] [/author]

Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Vida inteligente na WEB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.