IMAGEM E SEMELHANÇA

IMAGEM E SEMELHANÇA

Por Antônio de Oliveira    

“Os céus proclamam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra de suas mãos”. Nesse verso, o salmista, um poeta, exprime, em poucas palavras, de modo original e plástico, uma síntese. Os céus sintetizam todos os astros que habitam o firmamento, sejam eles sem luz própria, os planetas, a terra, por exemplo, seja o sol, que tem luz própria: Sunday, dia do Sol e “dies dominica”, domingo, para os cristãos, o dia do Senhor.

Numa manhã de fim de maio, depois de uma atividade física, confinados por obra e graça da desgraça de covid-19, olhei para o alto e contemplei o firmamento. Uma nuvem sequer. Céu azul, azul até demais. Minha esposa, ao meu lado, com Arte & Sensibilidade, musical inclusive, comentou, também olhando para o alto:

– Quem acaba de pintar aquele céu fez tudo de uma vez só, e não empresta tinta nem pincel pra ninguém…

KONICA MINOLTA DIGITAL CAMERA

Uma ideia puxa outra, uma manifestação de sensibilidade artístico-humana, qual cometa lastreado por uma longa cauda, deixa espaço para que se crie dentro daquela luz. Criado à imagem e semelhança de Deus, o ser humano é caudatário do Criador. O que Deus pinta com apenas uma pincelada – “et Deus dixit” – se dizia “crear”, significando tirar do nada. Faça-se o firmamento e o firmamento foi feito. Deus “creou” o firmamento. A criatura humana para isso leva tempo e carece de tinta e pincel, cavalete e tela, contemplação e inspiração. Portanto, cria. Com o tempo se pôs à margem o verbo “crear”.

Discorrer sobre arte é fazer pairar, também à semelhança do Criador, o espírito sobre as águas. De noite, perscrutando a profundeza dos mares: de dia, espraiando o mistério pelos “campos infinitos da esperança”. O mal do ser humano é não se contentar de contente em ser humano: ele sempre quer ser Deus. “Eritis sicut Deus…” tentação da serpente ou, no canto das sereias que assediaram Ulisses a caminho de Ìtaca: – Conhecemos o presente e o passado, e dir-te-emos o que o futuro te reserva! É aí que mora o perigo…

mbiente segue, anexa, a crônica semanal versando sobre a beleza da criação. Abraços. Um bom domingo.
Professor | Escritor |  Poeta
Antônio de Oliveira
| Professor | Escritor | Poeta
endereço:  Belo Horizonte Minas Gerais
Imagem: freeimages.com

Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Vida inteligente na WEB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.