Dia da Criança

Dia da Criança

Por Antônio de Oliveira

Nossos lixões podem conter objetos ainda em condições de uso, ou de reciclagem. Isso, tratando-se de lixo propriamente, pois nossos rios nem mais correm, se arrastam e arrastam dejetos e detritos, plásticos e substâncias tóxicas assassinas de cardumes inteiros, toda sorte de poluentes que se grudam ou se prendem a outras imundícies. Ontem tietês vivos, hoje tietês mortos. “Morte e Vida Severina”, de certa forma, pois ali também o rio morreu de sede.

children-criancas-pobres

Esta pergunta foi a vencedora num congresso sobre vida sustentável: “Todos nós pensando em deixar um planeta melhor para os nossos filhos… Quando é que pensaremos em deixar filhos melhores para o nosso planeta?” Uma boa pergunta, principalmente no Dia da Criança.

children-in-criancas-em-pekilen-bali

Nossa infância, feliz ou não, é um grude que nunca se desprende de nós, nem com o tempo. Infância é sempre uma referência. Criança de rua, criança sem teto ou criança mimada. De Jesus foi dito que ele crescia em idade, em graça e em sabedoria perante Deus e os homens.

ethiopian-children-criancas-na-etiopia

Quando, consciente ou inconscientemente, o adulto mergulha no fundo do mar de sua infância, contempla ora peixinhos a nadar ora monstros marinhos ora piranhas ora tubarões. Aquele tempo, quando o adulto de hoje era criança, lembra o que o apóstolo Paulo disse de si mesmo que, quando ele era menino, sentia como menino, falava como menino, agia como menino; quando chegou a ser homem feito, desistiu das coisas próprias de criança. Mas, ao menos de uma forma embaçada, obscura, o cenário de nossa infância não desgruda de nós, pois não há como retirá-lo do palco de nossas vidas.

children-in-ghana-criancas-de-gana

A memória, mais ou menos prontamente, deve responder aos chamados do tempo presente. Tempo presente, sobretudo para nossos filhos, netos, bisnetos, para todas as crianças deste conturbado mundo de Deus. Crianças que ainda não sabem de política, corrupção, nem do mundo dos adultos, que dizem ser de progresso. A praia das crianças é outra. Ainda bem… Que felicidade!
[author] [author_image timthumb=’on’]https://www.duniverso.com.br/wp-content/uploads/2014/03/foto-antonio-oliveira.jpg[/author_image] [author_info]O professor Antônio de Oliveira, cronista fascinante, é Mestre em Teologia pela Universidade Gregoriana de Roma, na Itália. Licenciado em Letras e em Estudos Sociais pela Universidade de Itaúna; em Pedagogia e em Filosofia pela Faculdade Dom Bosco de Filosofia, Ciências e Letras de São João del Rei. Estágio Pedagógico na França. Contato: antonioliveira2011@live.com[/author_info] [/author]

Imagem: sxc.hu

Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Vida inteligente na WEB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.