Os Mutantes e o rock psicodélico

Os Mutantes e o rock psicodélico

No ano de 1966, nasceu em São Paulo a irreverente e inovadora banda “Os Mutantes”.

Com Arnaldo Baptista (baixo, teclado, vocais) aos dezoito anos de idade, Rita Lee (vocais) aos dezenove e Sérgio Dias (guitarra, baixo, vocais) aos quinze (putz!), Os Mutantes não só marcaram a época em que surgiram como influeciaram e influeciam até os dias de hoje a música brasileira.
A banda foi a pioneira na mescla do rock and roll com elementos musicais e temáticos brasileiros, além de total irreverência, o uso inovador de feedback, distorções e truques de estúdio de todos os tipos.

mutantes-copan

A influência foi tamanha que após Os Mutantes, o gênero musical Brasileiro deixaria de ser meramente imitativo (alguns ainda estão nessa) e abriria a torneira do hibridismo.
Sua contribuição foi fundamental para o movimento considerado por muitos, o mais importante da música brasileira chamado de “Tropicália”.

Mutantes acompanhando Caetano Veloso em É Proibido Proibir, III F.I.C. no TUCA (SP), em 12/09/68.
Mutantes acompanhando Caetano Veloso em É Proibido Proibir, III F.I.C. no TUCA (SP), em 12/09/68.

O primeiro nome da banda foi Wooden Faces, depois passou a chamar O Konjunto, e por fim de Os Mutantes.
Posteriormente, também participariam do grupo Liminha (baixista) e Dinho Leme (bateria).
Excursionaram pela França, onde tocaram no célebre Mercado Internacional de Discos e Editores Musicais (Midem), na cidade de Cannes, e no tradicional Olympia, em Paris.

Assista o vídeo com a formação original:

Em doze anos de história (o grupo teve seu primeiro encerramento em 1978) foram gravados nove álbuns.
A banda só seria reconhecida nacional e mundialmente na década de 1990 com o lançamento de dois álbuns gravados em 1978, o “A e o Z” e o “Tecnicolor”, passando a ser considerada uma das mais criativas, dinâmicas, radicais e talentosas da era psicodélica e no cenário do rock.

Inicialmente, o grupo gostou da contratação da Rede Globo em 1971, para serem uma das atrações fixas do programa Som Livre Exportação mas depois se desinteressou pelo projeto.

No mesmo ano Rita e Arnaldo se casaram e na volta da lua-de-mel, o casal rasga a certidão de casamento no programa de televisão da apresentadora Hebe Camargo.

Os Mutantes na apresentação de Caminhante Noturno, III F.I.C. - Maracanãzinho (RJ), em 29/09/68.
Os Mutantes na apresentação de Caminhante Noturno, III F.I.C. – Maracanãzinho (RJ), em 29/09/68.

Em 1972 lançaram “Mutantes e Seus Cometas no País dos Baurets”, título este, em homenagem a Tim Maia, amigo dogrupo, e que chamava “baurets” os cigarros de maconha que costumava fumar.
O LP mostrou a transição da banda em direção ao rock progressivo, com influências dos grupos Emerson, Lake & Palmer e Yes e oi também o último com a participação de Rita Lee.

Este ano também marcou o fim do casamento de Rita e Arnaldo, em uma época em que os integrantes do grupo viviam em uma comunidade alternativa na Serra da Cantareira, na zona norte da cidade de São Paulo, onde drogas e trocas de parceiros sexuais eram uma constante. Isso acabou por abalar o relacionamento de Arnaldo e Rita.

Arnaldo, debilitado pelo uso contínuo de drogas (em especial o LSD) e em depressão com o final de seu casamento, apresenta comportamentos patológicos, colecionando sacos cheios de lixo, a se comunicar numa espécie de idioma inventado por ele e a fazer planos de construir uma nave espacial, deixa a banda, seguido pelo baterista Dinho em 1973.
Sérgio (único integrante da formação original) decidiu terminar com o grupo em 1978 em uma melancólica apresentação onde apenas duzentas pessoas compareceram.

Os Mutantes - IV Festival da Música Popular Brasileira (TV Record)- 18/11/68.
Os Mutantes – IV Festival da Música Popular Brasileira (TV Record)- 18/11/68.

Em 1996, o selo Natasha Records lançou um disco-tributo ao Mutantes, no qual os vários sucessos do grupo foram interpretados por artistas do cenário pop nacional, como Arnaldo Antunes, Kid Abelha, Lulu Santos, Pato Fu e Planet Hemp.

Em fevereiro de 2005 a revista britânica Mojo incluiu o álbum Os Mutantes em sua lista de “50 Most Out There Albums of All Time” (algo como os “50 Discos Mais Experimentais de Todos os Tempos”). Eles obtiveram a 12ª posição na lista, à frente de nomes como Beatles, Pink Floyd e Frank Zappa.

Os Mutantes foram homenageados, em 2006, na mostra Tropicália – A Rrevolution in Brazilian Culture, no Barbican Hall, em Londres, considerado o principal centro cultural da Europa.

Alegando compromissos agendados na mesma data do convite, Rita Lee não aceitou o convite. Liminha também declinou.

Zélia Duncan se juntou à Sérgio Dias, Arnaldo Baptista e Dinho Leme para a primeira apresentação dos novos Mutantes que se realizou com grande êxito no dia 22 de maio em Londres sendo gravada para futuro lançamento em CD e DVD, pela gravadora Sony BMG.

Depois seguiram para temporada nos Estados Unidos se apresentando no Webster Hall, em Nova York, no Hollywood Bowl, em Los Angeles, no The Fillmore, em San Francisco, no Moore Theatre, em Seattle e Cervantes Masterpiece Ballroom, em Denver – além de participarem do Pitchfork Music Festival, em Chicago.

Formação atual
Formação atual

Em 25 de janeiro de 2007, o grupo faz sua primeira apresentação no Brasil em quase trinta anos. O concerto fez parte dos festejos do

No 453º aniversário da cidade de São Paulo em 2007, o grupo faz sua primeira apresentação no Brasil em quase trinta anos levando cinquenta mil pessoas ao Museu do Ipiranga, e em setembro Zélia Duncan e Arnaldo Baptista anunciam a saída dos Mutantes.

Veja o vídeo com a formação de 2006:

Sérgio Dias e Dinho Leme mantiveram a banda, que lançou “Mutantes Depois”, a primeira canção inédita dos Mutantes em mais de três décadas. O compacto pode ser baixado gratuitamente na Internet gratuito no canal IG Música, para o Brasil; e no prestigioso Pitchfork, para o resto do mundo
Curiosamente, a canção está presente na trilha sonora da novela Os Mutantes – Caminhos do Coração da rede Record.

Marketing atual
Marketing atual

De acordo com o site oficial (mutantes.com) “Os Mutantes” está passando pela sua nova transformação e se prepara para uma nova tournée internacional, e lançamento de CD com musicas inéditas após 40 anos.

Assim como o cinema pode ser considerado a “sétima arte” (expressão utilizada para designar o cinema, criada em 1912 pelo italiano Ricciotto Canuto), consideraríamos “Os Mutantates” a oitava maravilha da música?
Ou seria a primeira?

Fontes:
mutantes.com (site oficial)
rollingstone.com.br
osmutantes.com.br
ritalee.com.br
pt.wikipedia.org

Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Vida inteligente na WEB.

16 comentários em “Os Mutantes e o rock psicodélico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.