Suicídio na carreira profissional: viver isoladamente

Suicídio na carreira profissional: viver isoladamente

Este texto trata de uma questão primordial para o ambiente de trabalho e carreira profissional. O trecho: “…não há como viver isolado, sentado em cima de seus resultados…”, resume de forma definitiva a situação.
Em uma era onde recebemos enxurradas de informações a todo instante, aqueles que se isolam, no tocante a carreira, tem serias chances de caírem sem que ao menos percebam.
Conhecer as tendências, estatísticas, dados financeiros, resultados de pesquisas e principalmente saber ouvir, são requisitos básicos do verdadeiro líder.

581 – Gestão de pessoas
Por Celia Spangher

Muitos profissionais reclamam que fazem um bom trabalho, com excelentes resultados e ainda assim são cobrados por outras competências, normalmente, de cunho comportamental.
Um bom trabalho e excelentes resultados ajudam muito na hora do reconhecimento, mas eles podem até mascarar problemas comportamentais que afetam a equipe e sua produtividade. Diariamente vemos excelentes profissionais que são tecnicamente impecáveis, mas que tem dificuldades em lidar com as pessoas, ou mesmo com a pressão em 360º.
Um exemplo típico aconteceu outro dia – o profissional era o Top de Vendas da empresa, resultados absolutamente expressivos, e calçado nisso, se achava no direito de maltratar colegas e superiores, pois acreditava que a empresa jamais o dispensaria. Ledo engano. Não só foi dispensado, como sua cota de resultados foi até superada pela equipe, que ficou aliviada com a sua saída e apresentou níveis de produtividade muito mais altos.
Outro caso é o do profissional que apresenta dificuldade para ouvir ativamente. Está recebendo feedbacks diariamente de todos os lados, mas como seus resultados estão acima das metas propostas pela empresa, as informações entram por um ouvido e saem pelo outro, sem processamento e a necessária reflexão. O profissional foca sua atuação unicamente no resultado e simplesmente se esquece de ouvir ao redor, perdendo com isso uma chance única de crescimento e desenvolvimento. Atropelos, falta de comunicação assertiva, falta de organização pessoal, egolatria são as queixas mais comuns de quem tem que conviver com profissionais de alto nível de desempenho e baixo nível de inteligência emocional e atenção com o universo ao seu redor.
Sem dúvida, resultados expressivos são muito bem recebidos, porém fique atento às pessoas e ao ambiente em que você está inserido – Nós estamos na era da Colaboração, o que significa que não há como viver isolado, sentado em cima do seu resultado. Acredite, isso fará toda a diferença no seu crescimento e desenvolvimento tanto pessoal como profissional.

E você, concorda?

Grande abraço!

Celia Spangher é Executiva de Gestão do Talento, Sócia-Diretora da Maxim Consultores
Nós Transformamos Equipes e Queremos Fazer a diferença nas Organizações.

Créditos:
www.maximconsultores.com.br
http://celiaspangher.wordpress.com
celia@maximconsultores.com.br

Imagem:
sxc.hu

Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Vida inteligente na WEB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.