Um pouco mais sobre Cazuza

Um pouco mais sobre Cazuza

All Star homenageia cantor relançando a moda dos calçados usados por ele

O cantor e compositor Cazuza é um dos maiores exemplos dos jovens roqueiros que fizeram sucesso nos anos 1980. Caju, como era chamado pelos amigos mais próximos, nasceu em 1958 e, segundo sua mãe, Lucinha Araújo, “não abriu espaço para mais ninguém”. Polêmico, romântico e conhecido por muitos como um poeta, ele mesmo afirmava ser da “tribo do abraço”, o que significa que precisava estar sempre rodeado de amigos para ser feliz. “Sozinho eu não dou conta”, ele dizia.

cazuza-credito-divulgacao-midiorama

Lucinha conta no livro “Só as mães são felizes” que ele costumava ser uma criança muito boa e introspectiva, mas quando cresceu o quadro se inverteu: aos 15 anos ele começou a ir para a rua e passar madrugadas nos bares do baixo do Leblon, no Rio de Janeiro, o que veio a inspirá-lo para compor diversas canções junto com a banda Barão Vermelho, como “Billy Negão” e “Ponto Fraco”.

Seus ídolos, tanto da bossa nova, do samba e da MPB, como Noel Rosa e Cartola, quanto os músicos da contracultura norte-americana dos anos 1960, como Janis Joplin, foram responsáveis por influenciá-lo nas músicas e na vida social e política, tendo a letra de “Ideologia” como um dos principais exemplos.

cazuza-alegre-feliz

Polêmica

De acordo com o jornalista e crítico de música Fernando Pereira, Cazuza, apesar de compor músicas românticas, “usava palavras ácidas para atingir o poder dominante, o status quo da sociedade” e suas letras eram “inteligentes, ácidas e contestatórias”.

Além de “Burguesia” e “Brasil”, duas referências marcantes, uma das principais críticas feitas pelo cantor ocorreu durante um show. Insatisfeito com a situação política do país, ele cuspiu na bandeira do Brasil, provocando a fúria de diversas pessoas que estavam no poder.

cazuza-em-nova-york

Composição

Cazuza decidiu fazer parte de uma banda de rock ao ser convidado pelo amigo Leo Jayme para fazer um teste no Barão Vermelho. Foi a partir daí que suas composições começaram a fazer sucesso e nunca mais pararam. “Um dos grandes cantores da juventude continua sendo o Cazuza”, afirma a historiadora Gabriela Passarelli.

morte-cantor-cazuza

Estilo

Seu estilo livre e despojado, misturado com a sua vida exagerada, foi retratado em um novo vídeo elaborado pela Converse, marca do tênis All Star, um dos mais utilizados por Cazuza durante sua juventude.

A homenagem não se baseou apenas em seus looks, mas também na canção “O Tempo Não Para” para incentivar os jovens de hoje a viver intensamente, como se cada dia fosse único, como o cantor fez durante toda a sua vida.

Grande abraço!
Press Office

Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Vida inteligente na WEB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.