Pés infantis: conheça causas e tratamentos de algumas das doenças mais comuns

Pés infantis: conheça causas e tratamentos de algumas das doenças mais comuns

Os delicados pés infantis passam por diversas mudanças desde o nascimento até o total desenvolvimento. Nesse trajeto, alguns problemas podem acometer os pequenos pés, e é preciso saber identificar quando ocorrem as alterações para buscar o auxílio médico e evitar que os quadros perdurem por muito tempo.

Conheça algumas das disfunções mais comuns que atingem os pés infantis e saiba como é realizado o tratamento para cada um deles.

Pé plano (ou pé chato)

Os pés planos são habituais em crianças até, aproximadamente, os dois anos de idade. A partir daí, o arco plantar começa a se formar e se estruturar, e esse processo vai até os oito anos de idade, em média. Se por volta dos 10 anos os pés continuarem sem a curvatura ou com pouca curvatura, causando dor e incômodo, é preciso realizar exames para verificar a condição dos ossos.

Os “joelhos para dentro” também são sintomas do pé plano. O uso de calçados ortopédicos e palmilhas tende a ser suficiente para corrigir o quadro, principalmente em conjunto com atividades físicas que estimulem a musculatura local. Se a dor for muito intensa e causar limitações nos movimentos, a cirurgia pode ser necessária.

Imagem: Pixabay

Pisada pronada ou supinada (para dentro ou para fora)

Durante a infância, é comum que os ligamentos, ainda em formação, estejam mais frouxos. Com isso, pode haver a impressão de que a criança está pisando para dentro (pisada pronada) ou para fora (pisada supinada). É possível perceber essa alteração observando o solado dos calçados, que apresentam desgastes mais intensos do lado da pisada.

A tendência é que esse quadro se corrija naturalmente, mas caso haja necessidade e indicação do ortopedista, é possível utilizar dispositivos como a palmilha para pisada pronada ou supinada, equilibrando os pés.

Pé torto

Os pés tortos (que aparecem em formas variadas, como (pé equino, cavo, aduto, varo e supinado), decorrem de má formação congênita e podem ser detectados ainda na barriga da mãe ou logo no nascimento. Eles ocorrem por alterações na estrutura óssea, muscular, articular e ligamentar. O tratamento mais utilizado é o gesso com troca semanal – o chamado método de Ponseti, que costuma proporcionar excelentes resultados.

Pés cavos

O extremo oposto dos pés planos, os pés cavos caracterizam-se pelo proeminente arco longitudinal plantar e são bastante frequentes. Alguns casos não têm causa definida, enquanto outros podem ser causados por alterações genéticas e condições neuromusculares. Ao acompanharem o indivíduo até a idade adulta causam dores, inflamações nos tendões, dores nas costas e dedos em garra.

Casos mais leves requerem o uso de calçados especiais, enquanto os mais graves podem ser encaminhados à cirurgia.

Grande abraço!

Press Office

Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Vida inteligente na WEB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.