Por que o vegetarianismo tem se tornado peça importante no mercado de alimentos de BH

Por que o vegetarianismo tem se tornado peça importante no mercado de alimentos de BH

Segundo o IBOPE, 14% da população brasileira se declara vegana ou vegetariana

Minas Gerais é um estado Brasileiro conhecido por sua vocação agropecuária. Com uma economia de carnes considerada importante para a região, o estado é, também, o maior consumidor de carne suína em todo o Brasil. Esse cenário, porém, vem mudando nos últimos anos.

Segundo a Sociedade Vegetariana Brasileira, o número de pessoas veganas e vegetarianas tem crescido em todo o país. Esse aumento pode ter chegado a 40% na última década, de acordo com dados divulgados pela própria SVB. Em 2020, estima-se que 14% da população nacional faça parte desse grupo.

Em Belo Horizonte, capital do estado mineiro, calcula-se que pelo menos 9% da população se identifique como vegano ou vegetariano. Ou seja, mais de 225 mil moradores da capital não consomem carne. Parte desses também não consome nenhum tipo de produto de origem animal, caso dos veganos.

A vida social continua

Para além de uma tendência, o vegetarianismo e o veganismo se apresentam como filosofias de vida. As motivações para a escolha são diversas. Entre as principais estão a preocupação com o meio ambiente e os direitos dos animais. Isso porque, por exemplo, a indústria da carne consome um terço de toda água potável disponível no planeta.

Mas se o cliente muda, o comércio se adequa. Conhecida, também, pelos bares, botecos e botequins, Belo Horizonte é a cidade com maior número desses estabelecimentos por morador. E os proprietários estão prontos para atender a clientela que dispensa carnes, ovos e laticínios.

Já é possível, inclusive, encontrar estabelecimentos 100% veganos. Na maioria dos outros, existe sempre, pelo menos, uma opção vegana e uma ovolactovegetariana, que leva ovos e leite, mas não contém carne. Os donos dos bares já entenderam que esse grupo precisa ser atendido para que continuem a frequentar os espaços a manter sua vida social regular.

Supermercados também se adequam

Além dos bares, restaurantes e locais que oferecem pratos prontos, os supermercados também tem se adaptado à nova clientela. Existem diversos comércios do tipo na cidade, que tem seções inteiras com produtos livre de sofrimento animal.

Existe, inclusive, uma espécie de açougue 100% vegano em Belo Horizonte, o Venne Vegan, localizado no Bairro Floresta. Lá é possível encontrar carnes, linguiças e queijos feitos, exclusivamente, de vegetais diversos. Entre os ingredientes principais estão as castanhas e as leguminosas, como a letilha e os feijões.

O negócio cresceu tanto que o Venne Vegan fornece os produtos para grandes redes de supermercados e lanchonetes da região. O crescimento, em meio a crise global, surpreende. A proprietária estima que, a cada mês, o negócio cresça, em média, 7%.

Pronta entrega

Com tanto crescimento, e um potencial de mercado que atrai investidores, já é possível encontrar, em Belo Horizonte, inclusive, delivery de produtos vegetarianos e veganos. Os mais populares são os serviços de marmitas. Diversos restaurantes têm um cardápio exclusivo para o público consciente que decidiu não mais se alimentar de produtos animais.

Existem até entregas, exclusivamente, vegetarianas. Alguns serviços sequer preparam outro tipo de alimentação que não seja a base de vegetais. Essas são, aliás, a favorita dos clientes. Isso porque, geralmente, esse tipo de estabelecimento é, também, de propriedade de outros veganos e vegetarianos, ou seja, clientes e proprietários compartilham da mesma filosofia.

O que os proprietários de todos os estabelecimentos, sejam locais com opções vegetarianas, ou 100% veganos, têm notado é a fidelidade dessa clientela. Isso indica, possivelmente, que ainda existe uma carência de serviços e produtos.

Com clientes fiéis, curiosos e, mesmo com o crescimento, a falta de serviços, o mercado dos produtos vegetarianos e veganos se mostra como uma alternativa para o investidor de pequeno e médio porte que não tem tanto para investir e necessita retorno rápido.

Grande abraço!

Press Office

Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Vida inteligente na WEB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.