Pais deixam filha morrer de fome por causa da internet

Pais deixam filha morrer de fome por causa da internet

Além de tamanha barbaridade, insanidade doentia e desmedida.
Um casal* de coreanos que se conheceram através de um site de bate-papo, ele com 41 anos e ela com 25 ficaram obcecados com a criação de um bebê virtual enquanto sua filha real estava abandonada e sem alimentação.
A menina de três meses de idade morreu de fome e inanição enquanto eles cuidavam do “filho virtual” em jogo online.

O jogo, semelhante ao Second Life, permite aos jogadores criar uma outra existência para si mesmos em um mundo virtual, incluindo a obtenção de um emprego, interagindo com outros usuários e ganhar um “avatar” extra para alimentar e cuidar, uma vez que alcançem um certo nível do jogo.
“O casal parecia ter perdido a vontade de viver uma vida normal, talvez por estarem desempregados. Eles se entregavam no jogo online de criar um personagem virtual, de modo a fugir da realidade, o que levou à morte de seu bebê real”, disse o policial Chung Jin-Won à agência de notícias Yonhap, da Coréia do Sul.

Após 12 horas de uma sessão do jogo o casal chegou em casa pela manhã e encontraram a filha morta. O bebê estava desnutrido com péssimo aspecto. As suspeitas de negligência foram confirmadas após a autópsia.
Eles fugiram para a casa dos pais da esposa em Yangju, província de Gyeonggi, mas foram presos dois dias depois. O caso que chocou não só a Coréia do Sul mas também o mundo, é mais um entre os muitos que vem acontecendo de comportamento obsessivo relacionado com a internet.

Os dados tendem a piorar!
Outro coreano de 22 anos de idade foi acusado de ter assassinado sua mãe porque ela se incomodava por ele para passar muito tempo jogando games online. Depois de matá-la o homem foi a um Cibercafé perto de casa e continuou com seu jogo.
Em 2005, um jovem entrou em colapso em um internet café na cidade de Taegu depois de jogar o jogo StarCraft quase continuamente por 50 horas. Ele teve uma parada cardíaca e morreu em um hospital local.

Pesquisa publicada no Reino Unido mostrou evidências de uma ligação entre o uso da internet excessiva e depressão. Pesquisadores da Universidade de Leeds, em artigo para a revista Psychopathology, disseram que uma pequena proporção de usuários da rede foram classificados como “viciados em internet” e que as pessoas deste grupo estavam mais propensas a serem deprimidas do que as do grupo dos não-viciados.

“Eu sinto muito pelo que fiz e espero que minha filha não sofra mais no céu”, disse o pai arrependido segundo o site AsiaOne.com.
Será que basta?
Este fato apesar de ter ocorrido em março de 2010, é bastante atual e nos leva a refletir sobre esta questão tão polêmica que é o uso da internet por nós, por nossos pais e por nossos filhos.
Deixe sua opinião!
Grande abraço!

*As imagens e os nomes do casal não foram divulgados.
Fonte:
guardian.co.uk

Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Vida inteligente na WEB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.