Lavar as Mãos

Lavar as Mãos
Por Antônio de Oliveira

Segundo o filósofo italiano Benedetto Croce, cada história é inicialmente o produto do tempo de sua escrita. Palavras essas que se tornaram clichê, mas que ilustram a análise do fenômeno histórico a partir do momento em que se inicia sua escrita, seu registro. Ou seja: a história registrada nem sempre revela o real, por ser ela, por natureza, e pelo menos no seu relato, acadêmica. Os escaninhos da história escondem e guardam, sob a forma de distorção, muitos fatos, além de o mito, a lenda, a tradição oral prevalecerem em geral sobre a verdade dos fatos. Como num tribunal do júri: fatos são negados ou distorcidos em favor da absolvição do réu. Ou também para a condenação de inocentes, sobretudo por difamação e falso testemunho. Na historiografia quase tudo é visto sob a óptica dos vencedores e poderosos que, muitas vezes, dizem, por conveniência, não saber de nada. Lavam as próprias mãos à semelhança de Pilatos, no mais dramático julgamento da história.

Ecce-Homo-Eis-o-homem-Antonio-Ciseri-Pilatos-Jerusalem

Num conselho administrativo ou, em geral, órgão dirigente, seus membros têm poderes idênticos, mas se supõe que tenham também responsabilidades idênticas. No caso do escândalo financeiro da Petrobrás, alguns membros se eximiram ou foram por conveniência política eximidos de culpa. Apenas quem deu voto contrário deveria ser sumariamente eximido.

Voltando à historiografia, é praticamente impossível isolar o passado do presente. Pois o fato continua sendo a matéria-prima do historiador, do jornalista, do repórter, do juiz. Segundo preceito clássico, em latim, “da mihi factum, dabo tibi jus”, dá-me o fato, dar-te-ei o direito. Isto é, quando o fato é descrito com clareza fica mais fácil julgar. No caso de agentes humanos, diretamente, por imprevidência, incompetência, imprudência, má-fé, ou, indiretamente, nos casos de agressão à natureza. Esta, à semelhança de “Ringo não perdoa”, não perdoa… Devolve as agressões ao meio ambiente sob a forma de catástrofes.
[author] [author_image timthumb=’on’]https://www.duniverso.com.br/wp-content/uploads/2014/03/foto-antonio-oliveira.jpg[/author_image] [author_info]O professor Antônio de Oliveira, cronista fascinante, é Mestre em Teologia pela Universidade Gregoriana de Roma, na Itália. Licenciado em Letras e em Estudos Sociais pela Universidade de Itaúna; em Pedagogia e em Filosofia pela Faculdade Dom Bosco de Filosofia, Ciências e Letras de São João del Rei. Estágio Pedagógico na França. Contato: antonioliveira2011@live.com[/author_info] [/author]

Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Vida inteligente na WEB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.