Ficha Limpa

Ficha Limpa

Por Antônio de Oliveira

A mim mesmo faço algumas perguntas inquietantes. Faço-as também a quem interessar possa. Por que foi preciso um movimento popular contra parlamentares ficha-suja? Parlamentares ficha-suja? Pode? Parlamento, reduto dos fichas-sujas? Como pode? Se não há fichas-sujas, por que não há transparência irrestrita de nossos representantes? Pares julgando pares. Pode? Que país é esse? Que parlamento é esse? Ou não é parlamento? Que assembleias e câmaras são essas? Ou não são nem assembleias nem câmaras? Que outra coisa seriam? Que democracia é essa? Ou não é democracia? Cadê o povo? Apenas um detalhe? Um “laranja” coletivo? “Testa de ferro”? Até quando? Imunidade, sinônimo de impunidade? Por que não se dicionariza logo a realidade? Quem tem medo de dicionário? Por que tantas denúncias contra políticos partindo de delatores premiados? Ou premiados seriam os políticos e partidos que se têm beneficiado fraudulentamente de propinas dos maiores empreiteiros e empresários do País? E a Petrobras, quem diria? Divergências ideológicas desaparecem na hora do toma lá dá cá. Acintosamente… Triste, tristemente triste, ó Pátria Educadora!

aventuras-de-pi

Roberto Carlos canta: “Quem sabe menos das coisas sabe mais do que eu”.
Não sou capaz de responder às perguntas acima. Alguém sabe? Ou se sabe, não tem interesse em dizer? Somos o país do faz de conta: País da fantasia? Terra de ninguém? Pior: afinal, e no final, tudo acaba em pizza. CPIs parlamentares servem apenas para consumir o nosso dinheiro. Tenho comigo que ética não é majoritária. Ética é maior. Objetivo mor a alcançar, institucional e individualmente. O conceito de maioria nem sempre representa democracia.

Esta crônica é um desabafo, que não incrimina nem descrimina ninguém. Somos todos culpados. Entretanto, evoco a frase do sobrevivente convivendo com o tigre, em Aventuras de Pi, em meio a “procela a bramir forte e medonha”: “Above all, don’t lose hope”. Jamais perder a esperança!

[author] [author_image timthumb=’on’]https://www.duniverso.com.br/wp-content/uploads/2014/03/foto-antonio-oliveira.jpg[/author_image] [author_info]O professor Antônio de Oliveira, cronista fascinante, é Mestre em Teologia pela Universidade Gregoriana de Roma, na Itália. Licenciado em Letras e em Estudos Sociais pela Universidade de Itaúna; em Pedagogia e em Filosofia pela Faculdade Dom Bosco de Filosofia, Ciências e Letras de São João del Rei. Estágio Pedagógico na França. Contato: antonioliveira2011@live.com[/author_info] [/author]

Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Vida inteligente na WEB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.