Verberando Os Costumes

Verberando Os Costumes

Por Antônio de Oliveira

Verberar, reprovar, fustigar, criticar, desancar. Indispensável é lembrar a frase latina: “Castigat ridendo mores”. Verberar o presidente, os ministros, os deputados, enfim, os representantes da nação. Pouco recurso resta ao brasileiro para fazer isso. Mas ele o faz, com criatividade e maestria, provocando o riso. O brasileiro, pois não tem outro jeito, cultiva a arte de sorrir cada vez que o Brasil dos Sanguessugas diz não. Charges e dizeres espirituosos, trocadilhos e piadas passam a circular pelas redes sociais. Em vão o brasileiro verbera sem piedade os erros e a pouca-vergonha de nossos governantes, mesmo que não haja retorno gratificante. Marchinhas de carnaval esculhambam com a esculhambação do governo, apesar de nada atingir a quem está blindado pelo poder. “O maior inimigo da autoridade é o desprezo e a maneira mais segura de solapá-la é o riso”, reconhece-o a escritora alemã, de origem judaica, Hanna Arendt.

Estamos longe de poder dizer como no fecho da canção: “E eu desejo amar todos que eu cruzar pelo meu caminho. Como eu sou feliz, eu quero ver feliz. Quem andar comigo, vem Lá – lá – lá- lá – lá…” Nossos políticos não nos deixam brincar de viver, tamanha a sua ambição, tamanha a sua desfaçatez, desfaçatez e ambição quase generalizadas. Historicamente, com seus altos e baixos, picos de euforia e abatimentos de descrença, tem sido sempre assim, independentemente do partido dominante. As mordomias não cessam. Cortar na própria carne significa cortar na carne do cidadão indefeso, na morada desmoronada do pobre.

Aqui não é meu lugar. Como não tenho o dom do sorriso aberto e do gargalhar a bandeiras despregadas, abraço a bandeira do Brasil e, em sonhos, na companhia de Manuel Bandeira, “vou-me embora pra Pasárgada: aqui eu não sou feliz, lá a existência é uma aventura”. Levantando outra bandeira, lá desfraldarei a bandeira do Brasil para ser agitada pelos bons ventos. Ventos me levem…

O professor Antônio de Oliveira, cronista fascinante, é Mestre em Teologia pela Universidade Gregoriana de Roma, na Itália. Licenciado em Letras e em Estudos Sociais pela Universidade de Itaúna; em Pedagogia e em Filosofia pela Faculdade Dom Bosco de Filosofia, Ciências e Letras de São João del Rei. Estágio Pedagógico na França. Contato: antonioliveira2011@live.com

Imagem: sxc.hu

Author: Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Vida inteligente na WEB.

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *