Como ter uma festa de casamento inesquecível sem gastar muito

Como ter uma festa de casamento inesquecível sem gastar muito

Planejar um casamento justo em uma época de crise econômica pode parecer impossível. Ainda assim, a ideia de ter um casamento grande e bonito, sem extrapolar nos gastos, não é tão difícil quanto muita gente pensa. Cortar da lista itens a mais e que não têm tanta importância para a realização da festa, assim como fazer uma pesquisa de fornecedores e preços com antecedência, são regras essenciais para ter uma festa barata.

Começar uma vida conjugal sem dívidas e cheia de memórias bonitas vai fazer toda a diferença. Afinal, nenhum casal quer obstáculos diante da nova fase. Por isso, confira algumas dicas de como fazer caber no bolso o casamento dos seus sonhos.

Limites

O primeiro passo é definir o tipo de casamento e o que os noivos esperam dele: se ele será tradicional, simples ou moderno. Essa pequena escolha já adianta o cenário de como será a festa e o que não pode faltar nela. Da mesma forma, o casal deve chegar a um consenso sobre o valor que irão gastar no casamento.

Com esse número em mãos, as pesquisas podem começar. Isso também inclui limitar os gastos com vestimenta e alianças. Existem diversos tipos de vestidos que saem em conta, e o mesmo serve para os anéis. A variedade de modelos de alianças permite escolher algo barato e feito com qualidade. Além disso, o ideal é planejar o casamento no mínimo 1 ano antes.

Poupar

Com o limite de gasto estabelecido, é necessário começar a guardar dinheiro. Para isso, os noivos devem definir um valor para guardar por mês. Por exemplo, se guardarem R$ 3.000,00 a cada mês, em um ano o total será de R$ 36.000,00, quantia suficiente para uma boa festa com cerca de 200 convidados.

Investir o dinheiro com antecedência também é um boa opção, que ao final pode servir para pagar à vista as despesas. Caso isso não seja possível, além de poupar dinheiro, o casal deve fazer um planejamento para pagar o máximo que puder à vista, fazendo as compras em meses diferentes, para não gastar tudo de uma vez. Se precisar parcelar, tente não dividir em vários meses.

Outra dica é guardar uma parte do dinheiro para emergências. Isso pode salvar o casamento, caso algo dê errado e algum serviço seja contratado de última hora.

Como-ter-uma-festa-de-casamento-sem-gastar-muito

Lista de convidados

Essa é uma das partes principais que irá guiar a escolha do local, os serviços que serão contratados e ter uma ideia do tamanho da festa. Comece a lista com os familiares mais próximos que fazem parte da história do casal e que não podem faltar. Em seguida os melhores amigos e pessoas do trabalho que os noivos fazem questão que compareçam.

Geralmente, 20% dos convidados não comparecem, o que pode tornar a lista um pouco maior. O ideal é fazer uma lista fechada dos convidados essenciais e uma lista com as pessoas a mais, caso seja necessário cortar gastos. Diminuir a quantidade de pessoas não vai deixar de fazer a festa animada e especial, isso depende dos noivos!

Local

De acordo com o número de pessoas, a escolha do local fica mais fácil. Entretanto, alguns fatores devem ser levados em conta. Ao fazer em um salão de festas, o aluguel costuma ser alto e a festa tem hora definida para acabar. Ainda assim, se ele for novo ou recentemente reformado, a decoração pode sair mais barato. Ao ar livre, contratar um serviço de estrutura sai caro, já que tudo deverá ser montado do zero, com pisos e tendas para a chuva. Fazer a festa na casa de amigos ou de parentes pode ser uma boa opção, desde que haja espaço, conforto e se verifique se será necessária a montagem de uma estrutura.

Bufê, decoração e bebidas

Esse trio é o responsável pela maior quantidade de gastos. Para a decoração, as plantas e flores são as mais baratas e com maior variedade, mas podem sair caras se a data do casamento for próximo do Dia das Mães ou do Dia dos Namorados, por isso evite esses meses. Além de maio, setembro e outubro também configuram como os mais caros pela alta procura.

Sobre o bufê, de acordo com o estilo do casamento, é possível gastar pouco se não servir jantar. Nesse caso, escolha servir um coquetel. Uma mesa de frios com uma opção de prato quente também enxuga os gastos e permite que os convidados circulem mais pela festa. Se amigos ou parentes querem ajudar, aceite. Aquela tia que faz doces gostosos ou o tio que cozinha bem podem ajudar a cortar ainda mais os gastos ou até oferecer um serviço de graça, quem sabe.

Na parte de bebidas, prefira servir um espumante nacional, já que os importados são caros, assim como cortar o uísque, que encarece a festa. Outra ideia é pagar as bebidas por consignação – a metade do valor adiantado, e o restante é pago de acordo com a quantidade que foi consumida. Não economize nos garçons para que todos sejam servidos e atendidos com excelência.

Presentes e convites

Aproveite a maravilha da internet e crie um site com a lista de presentes que os noivos querem ganhar. Alguns sites também permitem que o casal receba o dinheiro para usar, por exemplo, na escolha de um passeio que será feito somente na lua de mel. Então, o casal gasta quando chegar esse dia.

Os convites são a cara do casamento – portanto, escolher uma gráfica especializada e um design bonito pode sair caro. Mas esse é uma dos itens que vão servir  como lembrança e que irão chegar nas mãos dos convidados, o que faz desse gasto justificável. Pechinchar está permitido!

O que não pode faltar

Nessa última dica, o casal deve listar coisas ou serviços que são prioridades. Contratar um fotógrafo profissional e experiente vale a pena para ter fotos de qualidade e relembrar esse dia especial. Da mesma forma, seguranças são importantes em caso de algum problema. Outro serviço é o de cerimonialista: essas pessoas conhecem os fornecedores e têm experiência para montar um casamento. Além disso, em festas com uma quantidade razoável de pessoas, elas podem controlar tudo enquanto os noivos se divertem.

Grande abraço!

Press Office

Author: Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Vida inteligente na WEB.

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *