Quais são os efeitos da cafeína no seu organismo?

Quais são os efeitos da cafeína no seu organismo?

Uma das substâncias mais consumidas do mundo pode colaborar ou atrapalhar a prática esportiva

Conhecida pela imensa maioria das pessoas pela sua presença no café, a cafeína é considerada por algumas entidades internacionais como uma espécie de droga. Seus efeitos psicoativos, de forma geral, aumentam o estado de alerta, reduzem a percepção de fadiga e intensificam o gasto calórico pelo seu efeito termogênico, o que faz com que as tarefas sejam melhor executadas. Não à toa, o café é um dos elementos obrigatórios de qualquer escritório.

Segundo o nutricionista Diogo Círico, da Growth Supplements, a cafeína ainda é capaz de gerar outros tipos de reações no organismo. “Ela possui efeitos inotrópicos (capacidade de contração da musculatura cardíaca), taquicardizantes (aumento da frequência cardíaca), broncodilatadores (dilatação das paredes musculares dos brônquios, resultando em maior fluxo de ar) e estimulantes da secreção gástrica (efeito mediado pela gastrina). Em doses maiores, produz excitação, ansiedade e insônia”, explica.

Apesar disso, a cafeína – novamente por causa do café – é uma das substâncias estimulantes mais consumidas no mundo, principalmente por ser facilmente ingerida por via oral. Segundo dados da Organização Internacional do Café, o consumo global de café ultrapassa 150 milhões de sacas de 60 quilos por ano. Os números revelam ainda que este número cresce cerca de 2,5% ao ano.

O Brasil é o segundo maior consumidor da bebida no planeta, atrás apenas dos Estados Unidos, que consomem anualmente 24 milhões de sacas. No ano passado, os brasileiros demandaram 20,5 milhões de sacas, uma ligeira alta em relação ao ano anterior, que computou 20,3 milhões de sacas.

De acordo com Círico, a concentração máxima da cafeína no organismo é atingida no corpo meia hora após o consumo e dura cerca de três horas, podendo chegar até a seis em alguns casos. Por todos seus efeitos, é uma das substâncias da lista de doping pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), que coordena quase todos os esportes praticados a nível mundial. “Na prática esportiva, a cafeína vem sendo utilizada por seus efeitos ergogênicos, ou seja, pela melhora do desempenho atlético”, conta o nutricionista da Growth.

Os atletas, quando consomem cafeína para competir, podem adquirir vantagens oriundas de diversas transformações no corpo, como o aumento na utilização de gorduras como fonte de energia, a economia do glicogênio muscular, a facilitação da transmissão no sistema nervoso central, o que resulta em melhora da função contrátil dos músculos, o aumento da força de contração muscular e a redução dos níveis de percepção subjetiva de esforço.

“Este efeito é baseado no aumento da produção de catecolaminas plasmáticas provocado após a sua ingestão, o que poderia permitir que o organismo se adapte ao estresse causado pelo exercício físico”, finaliza Círico.

Grande abraço!
Press Office

Author: Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Vida inteligente na WEB.

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *