Inspetor Bugiganga ou Sherlock Holmes: qual detetive você é?

Inspetor Bugiganga ou Sherlock Holmes: qual detetive você é?

Qual dos dois detetives mais famosos têm um perfil mais parecido como o seu? Conheça a história desses dois mitos da literatura, da animação e do cinema

As histórias de policiais e detetives sempre fizeram parte do imaginário popular. Desvendar um crime aparentemente sem solução, seguir um alvo sem ser visto ou tirar conclusões que parecem impossíveis apenas baseadas na lógica são algumas das maneiras pelas quais esses personagens acabam se tornando figuras fortes em nossas vidas.

Dois dos ícones mais importantes desse segmento são os personagens Inspetor Bugiganga e Sherlock Holmes. Cada um a seu modo, ambos são vistos como mentes brilhantes e, certamente, em algum momento você já quis ser como um deles. Mas, você conhece os detalhes e as principais características de cada um desses personagens?

Nesse artigo, mostramos um pouco da personalidade de cada um deles, de forma que você possa decidir por conta própria com qual deles você mais se identifica. A inteligência acima da média e o ótimo poder de dedução de Sherlock Holmes ou as múltiplas engenhocas que dão vida ao arsenal de inovações do Inspetor Bugiganga?

Sherlock Holmes: invenção dos ingleses

O personagem Sherlock Holmes foi criado pelo escritor britânico Sir Arthur Conan Doyle e o primeiro romance em que ele apareceu foi publicado em 1887. O livro se chamava Um Estudo em Vermelho. Apesar da sua popularidade, foram poucas as histórias originais editadas pelo próprio autor.

Na verdade, a bibliografia de Sherlock Holmes escrita por Doyle se resume a 4 romances e outros 5 livros de contos, que juntos totalizam 56 histórias. É curioso notar que, fora da literatura, muitas outras histórias usando o personagem foram editadas, seja no mundo dos quadrinhos ou no cinema. O fato é que Holmes se tornou maior que a obra do próprio autor, cujo nome é menos lembrado hoje do que o do seu personagem.

Lógica dedutiva

Sherlock Holmes ficou famoso por usar o método científico e a lógica dedutiva para a resolução dos mistérios nos quais se envolvia. Ao lado do seu ajudante fiel, Dr. Watson, juntos ambos desvendaram casos que pareciam insolúveis. Carismático e astuto, Holmes é a representação perfeita de um cavalheiro britânico.

Todas as histórias do detetive eram ambientadas na Inglaterra, no período que marca o final do século XIX e início do século XX. Assim, Sherlock Holmes passeava por alguns dos pontos turísticos mais importantes da capital inglesa, sempre envolvido em muito mistério e descobrindo a resposta para casos que nem mesmo a Scotland Yard – a polícia especial britânica – conseguia resolver com facilidade.

Inspetor Bugiganga: a resposta dos franceses

Inspirado em Sherlock Holmes, mas com uma roupagem mais infantil, nascia na década de 80 a animação Inspetor Bugiganga. O desenho animado é uma coprodução de três países: França, Canadá e Estados Unidos. No total, duas temporadas forma produzidas, totalizando 86 episódios. Parece mais, não é mesmo? Pois é, mas o desenho original se resume a apenas ao período compreendido entre 1983 e 1986.

Inspetor Bugiganga narra as aventuras de um detetive policial que após sofrer um acidente foi transformado em um robô com “mil e uma utilidades”. Dessas suas utilidades são reveladas uma série de ferramentas que fazem com que ele se comporte quase como uma espécie de super-herói no combate ao crime.

Sua missão é ir em busca do vilão que causou o seu acidente, o Dr. Garra. Ele leva esse nome pelo fato de ter perdido uma das mãos no mesmo acidente do detetive. Ao longo dos 86 episódios o que se vê então é o Inspetor Bugiganga tendo que salvar o mundo seguidas vezes enquanto o Dr. Garra tenta se vingar do detetive, pois acredita que ele é o responsável pelo acidente.

Um detetive trapalhão

Criado para ser uma espécie de alívio cômico às histórias mais sérias dos detetives, que geralmente envolviam crimes e mistérios, o Inspetor Bugiganga pode ser considerado uma espécie de robô trapalhão. Na maioria dos casos para os quais ele é escalado acaba cometendo erros bastante estúpidos, que quase colocam tudo a perder.

Na maioria das vezes, o detetive confunde inocentes com inimigos e acredita que os inimigos, no fundo, são boas pessoas. Em alguns episódios, nem mesmo o fato de ele ver os bandidos cometendo crimes faz com que ele se toque que está diante de um novo caso. Assim, por conta disso, invariavelmente ele acaba se metendo em situações para lá de complicadas, que colocam a sua vida em risco. Contudo, em todos os casos ele consegue se salvar graças ao seu arsenal de acessórios e bugigangas que carrega.

Para combater o crime, o Inspetor Bugiganga conta ainda com o auxílio da sua sobrinha, Penny, e do cão Crânio. Como curiosidade, ao final dos episódios havia sempre uma espécie de lição de moral para as crianças, conselhos que vindos da boca de um detetive eram muito importantes. Por exemplo, ele sugeria que se tivesse cuidado ao andar de bicicleta à noite ou que se evitasse fazer algo perigoso.

Dessa forma, o personagem era visto pelos pais como uma boa influência, como um bom detetive particular deve ser, sempre ao lado da lei. Há outros dois personagens marcantes na história da TV que podem ter servido de inspiração para o Inspetor Bugiganga. O Agente 86 – seriado de sucesso nos anos 70 e 80 – e o Inspetor Clouseau, o baixinho do desenho animado da Pantera Cor de Rosa.

Grande abraço!

Press Office

Author: Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Vida inteligente na WEB.

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *