Felizes em 2015

Felizes em 2015

Por Antônio de Oliveira

Aristóteles representa a síntese mais elaborada de todo o pensamento grego e que mais influência exerceu sobre o Ocidente. Para ele, fim último do ser humano é a felicidade. Para alcançá-la, o caminho é a prática da virtude pela submissão de nossas atividades ao que seja razoável. Trata-se de criar o hábito de optar pelo justo meio, como no uso do dinheiro: não ser pródigo nem consumista, gastando demais… nem ser sovina ou avarento. Como condições para a felicidade devem ser agregados também os bens corporais e exteriores, saúde e bem-estar. Em suma, autoestima, qualidade de vida e, sobretudo, vida de qualidade.

Aristoteles-afresco-Escola-Atenas-Rafael-Sanzio-Vaticano

A ética aristotélica é conhecida como eudemonismo, doutrina que propõe seja a felicidade individual ou coletiva o fundamento racional da conduta moral. Hoje em dia, ser feliz traduz-se, obsessiva e alucinadamente, em ter conta bancária em paraíso fiscal, poder, império… desfrute sem fim, ou melhor, como fim.

No entanto, se você quer compreender a palavra felicidade, deve entendê-la como recompensa, não como um fim, segundo Saint-Exupéry, autor de O Pequeno Príncipe.

Será que os grandes, que quase nunca são punidos, se sentem felizes tendo de ludibriar sua consciência diuturnamente? Será que não se sentem cansados de atropelar a moral em busca de brechas jurídicas, na possibilidade interminável de recursos nas mãos de advogados da legalidade?

Representacao-da-consciência-Robert-Fudd-Bewusstsein

Viver e ter a coragem de ser feliz. E não impedir que outros sejam felizes: “So Others May Live”. Quando há superfaturamento numa obra, e obra mal feita, ou inacabada, desvio de verba, os responsáveis deveriam refletir sobre o fim último de todo ser humano: ser feliz. E, num mix socrático-pitagórico, desconsiderando tudo aquilo que não nos faz falta para sermos felizes.

Além disso, diz a conhecida moral da história: quem tudo quer tudo perde. E ainda há quem comete latrocínio ou cai no manjado golpe do bilhete sorteado.

Em 2015, felizes na honradez!…

O professor Antônio de Oliveira, cronista fascinante, é Mestre em Teologia pela Universidade Gregoriana de Roma, na Itália. Licenciado em Letras e em Estudos Sociais pela Universidade de Itaúna; em Pedagogia e em Filosofia pela Faculdade Dom Bosco de Filosofia, Ciências e Letras de São João del Rei. Estágio Pedagógico na França. Contato: antonioliveira2011@live.com

Author: Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Vida inteligente na WEB.

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *