Porque é tão importante saber conviver bem com os moradores do seu condomínio?
jan19

Porque é tão importante saber conviver bem com os moradores do seu condomínio?

 Porque é tão importante saber conviver bem com os moradores do seu condomínio? Viver em comunidade não é uma tarefa fácil para algumas pessoas, principalmente no que se refere a condomínio de casas e apartamentos, a pluralidade de moradores e ritmos de vida diferentes de alguma maneira podem intervir na vivência em sociedade. Normas pré-estabelecidas são importantes para organização e respeito ao próximo, pois sempre vale ressaltar esses códigos para que o bem comum reine entre os condôminos. Basta andar pela cidade para nos depararmos com muitos condomínios fechados e apartamentos novos, são pessoas que buscam uma qualidade de vida e segurança para a sua família. A procura por estes tipos de imóveis virou sonho de consumo para quem sonha com a casa própria. Respeito às normas de convivência Para se viver em um condomínio é preciso respeitar as regras de convivência, das quais são seguidas à risca, pois a maioria destes tem áreas de lazer amplas, piscinas e praças. Muitos permitem a presença de criação de animais domésticos, como gatos e cachorros. Com toda essa multiplicidade é preciso seguir regras de vivência para que a sua liberdade não restrinja a liberdade do seu vizinho. Área de lazer Sem dúvida é o melhor local de um condomínio, para quem quer relaxar e confraternizar com a família e amigos. Medidas simples auxiliam na boa utilização deste espaço. Por exemplo: – Manter a limpeza e zelar pelo patrimônio, leve sempre uma sacola para jogar seu lixo fora no local adequado; – Não obrigar outros condôminos a conviverem com seus animais de estimação; – Recolher brinquedos e objetos deixados por crianças, supervisão de um adulto para melhor segurança de menores de idade; – Não ouvir música alta após o horário estipulado pelo condomínio; – Ao utilizar a piscina tomar cuidado com o uso de bronzeadores, prender os cabelos se forem muito longos, e verificar se esta acometido por alguma doença de pele transmissível; O mais importante é usar diariamente o bom senso, ser discreto e cortês com o seu vizinho, e respeitar de maneira impreterível o regimento interno do condomínio. Por Jacqueline Gonçalo Jornalista pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) Press Office...

Read More
Espaços de lazer são atrativos que conquistam: Como as construtoras têm investido cada vez mais nesse aspecto
dez03

Espaços de lazer são atrativos que conquistam: Como as construtoras têm investido cada vez mais nesse aspecto

 Espaços de lazer são atrativos que conquistam: Como as construtoras têm investido cada vez mais nesse aspecto Como todo setor, as construtoras também tem sofrido com a concorrência. O que acaba sendo bom para o consumidor que tem se surpreendido cada vez mais com os imóveis que vêm sendo construídos. O que antigamente se resumia em piscina e quadra de esportes e era tratado como diferencial, hoje tem sido visto como característica comum e básica entre os melhores empreendimentos. As construtoras têm precisado ousar e estudar profundamente as necessidades de seus consumidores, dependendo do seus estilo de vida e necessidades cada consumidor irá valorizar um artifício criado para convencê-lo a compra. Esse artifício pode ser desde uma área gourmet até studio de pilates e academia equipada dentro do empreendimento e a disposição do morador. (Academias são cada vez mais comuns nas áreas compartilhadas dos prédios) Os imóveis construídos pensando nas necessidades de toda família tem construído condomínios e prédios com diversos setores de lazer e entretenimento, cinema, boliche. serviços como salão de beleza e academia são alguns dos diferenciais que foram incluídos nas construções modernas. (As coberturas também estão sendo utilizadas para a criação de espaços e lazer) Cada vez mais, as pessoas unem conforto às facilidades oferecidas pelo empreendimento, imagine como seria maravilhoso fazer pilates, tomar banho de sol e assistir um filme com a família em ambientes apropriados e sem sair de casa? Parece bom, não é mesmo?! E é por isso, que as construtoras têm realizados seus projetos modernos e cheios de atrativos para atender esse novo consumidor mais atento e preocupada com o destino de seu investimento em uma casa própria. Grande abraço! Por Jacqueline Gonçalo Jornalista pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) Press Office...

Read More
Vai construir? Confira quais as medidas ideais para uma casa confortável
nov26

Vai construir? Confira quais as medidas ideais para uma casa confortável

 Vai construir? Confira quais as medidas ideais para uma casa confortável Cada vez mais têm surgido projetos de moradia minimalistas, onde quase tudo é feito no mesmo cubículo e isso prova que se pode construir e planejar os menores ambientes para se “resolver” todas as atividades da rotina de uma casa. E ao contrário das novas tendências, para os projetos antigos de arquitetura, quanto maior melhor, o problema é que não se deve construir nenhum ambiente sem planejamento. Você com certeza já entrou em um banheiro enorme onde dentro só existia uma pia, um vaso sanitário, um box e chuveiro, todos com tamanhos que caberia de forma ideal em um ambiente com a metade daquele tamanho, esse é um exemplo de ambiente mal planejado. Os profissionais e faculdades de arquitetura tem estudado muito sobre como construir um ambiente do tamanho ideal para o cada estilo de vida e acabar por exemplo com problemas, como um quarto que quando se coloca uma cama de casal e um armário de 4 portas, ou se anda no ambiente ou se abre a porta, ou ainda uma cozinha onde a porta é tão estreita que não passa nenhuma geladeira ou fogão. E para facilitar seu planejamento de organização da sua casa, vamos elencar algumas dimensões indicadas como mínimas para alguns ambientes, veja: Sala – a porta deve ter 60cm no mínimo, e 80cm para passagem de cadeirantes. A distância entre o rack e a mesa de centro dever ser no mínimo de 40cm, entre o sofá e a parede é necessário 10cm de distância caso precise de cortina atrás do sofá. Quarto – cada corredor deve ter no mínimo 60cm para que se tenha uma circulação agradável no ambiente, esses corredores normalmente ficam entre a cama, as paredes e guarda-roupa. Cozinha –  corredor com no mínimo com um 1m para garantir a movimentação de 2 pessoas e uma porta com 80cm para garantir a passagem dos eletrodomésticos. Gostou das dicas? Que tal pegar uma fita métrica e organizar melhor os espaços da sua casa, para garantir uma rotina mais confortável? Por Jacqueline Gonçalo Jornalista pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) Press Office...

Read More
Financie seu imóvel sem dores de cabeça
nov01

Financie seu imóvel sem dores de cabeça

  Financie seu imóvel sem dores de cabeça Saiba como investir da maneira certa comprando uma casa ou apartamento por financiamento O mercado imobiliário tem se expandido cada vez mais e a facilidade para adquirir um imóvel também. Muitos brasileiros optam pelo financiamento, por ser uma forma que se encaixa no orçamento, mesmo que leve anos para quitar o investimento. Mas antes de tomar qualquer decisão é preciso muita pesquisa para enfrentar a burocracia do processo e evitar problemas. São inúmeras etapas para conseguir ser aprovado no financiamento e ele pode ser intermediado por correspondentes imobiliários, incorporadoras, profissionais cadastrados pelo banco e indicados por imobiliárias. O aconselhável é contratar alguém de confiança para encaminhar esse processo, já que trata-se de um investimento alto e de longo prazo. É importante avaliar a renda e o quanto pode se endividar. O limite de comprometimento de renda  para dar entrada em um financiamento é de 30%, mas muitos especialistas do ramo recomenda uma margem de 25%, pois existem outros gastos e que muitos não são esperados, assim evita-se um endividamento sem necessidade. Lembrando que os bancos são rígidos quando se trata de atrasos das parcelas e podem até barrar o financiamento. Muitos acham que financiar um imóvel é somente pagar as parcelas e não é bem assim. Esse processo implica em custos que vão além, como o Pagamento do Imposto sobre Transmissão de Bens e Imóveis (ITBI), despesas com cartório, avaliação jurídica dos documentos e avaliação do imóvel. A associação Brasileira dos Corretores de Empréstimo e Financiamento Imobiliário estima que o custo desses documentos podem chegar a 4% do valor do imóvel, dependendo da região em que se encontra. Pesquisar e negociar são palavras chaves na hora do financiamento, além de procurar o imóvel dos sonhos é preciso comparar as linhas de crédito imobiliário do mercado e negociar as taxas de juros com os bancos e encontrar um valor que caiba no orçamento do Custo Efetivo Total (CET) do financiamento. Se for preciso crie uma conta-salário ou até mesmo um seguro de vida ou previdência privada, assim o banco verá que vale a pena investir em quem investe na instituição. E em meio a todo o processo peça a orientação de um profissional especializado e de confiança, pois sempre falta conhecimento da parte do investidor sobre assuntos mais burocráticos e isso pode levar a uma sucessão de erros. O contrato deve ter uma atenção especial, pois alguns costumam esconder taxas ilegais ou desnecessárias que poderiam ser negociadas, e um profissional também pode auxiliar nesse aspecto. Para quem opta comprar um imóvel ainda na planta, por exemplo, não é obrigado a financiá-lo com...

Read More
Por que o setor imobiliário deve investir em marketing?
set28

Por que o setor imobiliário deve investir em marketing?

 Por que o setor imobiliário deve investir em marketing? A internet tornou as experiências de compra muito mais complexa, hoje quando se tem interesse em algo você pesquisa, compara os preços e lê avaliações, esses fatores influenciam e muito a opinião do cliente. O setor imobiliário também sentiu essa mudança, antes tanto os imóveis quanto os interessados em comprar ou alugar chegavam de maneira natural, já que ir até uma imobiliária era o único caminho. E o trabalho do corretor de imóveis era imprescindível para que os negócios fossem fechados. Hoje em dia os clientes percorrem todo o caminho sozinhos e sem sair de casa, um smartphone é suficiente para que ele veja ofertas, compare preços e entenda formas de pagamento. Percebendo essa tendência o setor imobiliário sentiu a necessidade de se aproximar dos clientes nas plataformas digitais e dividiu o foco entre vender e alugar imóveis com a fidelização do cliente, estabelecendo uma relação de confiança para que ele seja uma ponte para outros negócios. Uma nova visão Para algumas empresas que atuam no mercado imobiliário há alguns anos, pode ser um pouco complicado entender a necessidade de estar presente também nos meios digitais. A ideia de que as redes sociais são a única ferramenta do marketing é muito presente no imaginário popular, mas somente elas não são suficientes para um trabalho eficiente. O administrador e diretor de tecnologia da 8020 Marketing Digital, Kenneth Corrêa, iniciou sua experiência profissional dentro da imobiliária Financial, em Campo Grande MS, e confirma que o marketing digital para o setor é uma tendência cada vez maior “O profissional de marketing ajuda a imobiliária a começar a se enxergar como uma marca, e criar valor no mercado cuidando da imagem desta marca junto ao mercado como um todo, e não somente com os clientes” diz. “Fora isso, o profissional do marketing ajuda a ter uma visão mais pró-ativa de investimento em visibilidade e captação de leads (que é o termo usado para identificar as pessoas que têm interesse no seu produto ou serviço), ao mesmo tempo em que faz a análise de atribuição de marketing, ou seja, mensurar de onde vêm os resultados, e alocar melhor os investimentos da imobiliária” completa. Enga-se quem pensa que existe uma fórmula de marketing pronta e adaptável para qualquer empresa, é preciso primeiramente fazer uma análise detalhada para entender seu perfil, o momento de mercado em que está passando e qual sua relação com o marketing, somente a partir desse ponto que as estratégias podem ser definidas. Kenneth explica que para uma empresa que nunca investiu em nenhuma ação de marketing e não possui nenhuma presença online,...

Read More
Como comprar sua casa pela metade do preço?
ago18

Como comprar sua casa pela metade do preço?

 Como comprar sua casa pela metade do preço? Há várias formas de pagar mais barato na sua casa própria, descubra como e realize o seu sonho Crise econômica, desemprego e dívidas são algumas das motivações para que você ainda esteja vivendo em uma casa que não é sua. Para conseguir o seu próprio imóvel, é preciso pensar em formas de baratear a compra. Realizar o sonho da casa própria parece ter se tornado uma realidade cada vez mais difícil. Mesmo com os preços dos imóveis em queda e com o mercado fazendo de tudo para vender, muita gente não tem condições de adquirir nada. Tanto é que a geração Y (os jovens de 30 anos) não tem como prioridade comprar uma casa ou um apartamento hoje em dia, ao contrário de seus pais! Entretanto, o mercado está dando sinais de que vai se aquecer mais uma vez e tornar a compra do seu imóvel mais favorável. Mudanças nas regras de financiamento, o aumento no número de unidades comercializadas e a procura nas imobiliárias de todo o país indicam que, em breve, você poderá ser o dono do seu próprio lar. Enquanto isso não acontece, ou até mesmo quando acontecer, é melhor pesquisar formas de economizar na compra da casa própria. Confira quais são as boas práticas para poupar durante a sua busca e aproveite o dinheiro extra: Busque em regiões mais baratas O preço dos imóveis tem se desvalorizado e isso quer dizer que o que já era barato está ainda mais em conta. Por isso, consultar o valor do metro quadrado é essencial e, se você der sorte, adquirir um imóvel no bairro em que você sempre sonhou pode sair mais barato do que se mudar para a cidade vizinha. No entanto, ainda vale a máxima: regiões centrais, próximas ao comércio e áreas de lazer, com acesso a todo tipo de transporte público e bairros tradicionais costumam ter o metro quadrado mais caro. Em São Paulo, por exemplo, a Vila Nova Conceição, ao lado do Parque Ibirapuera, é o lugar mais caro para se viver na capital: o metro quadrado custa R$ 16.124, uma diferença de mais de R$ 10 mil reais quando comparado à região de Itaquera, a região mais barata em junho de 2017. Adquira o imóvel na planta               Considerando um imóvel novo, a compra na planta pode ser bem mais econômica. Na maioria das vezes, o preço do imóvel que ainda está na planta é mais barato que o do imóvel pronto e, ao comprá-lo dessa forma você ganha tempo para planejar o pagamento das prestações. Se você for um bom negociador e souber calcular a...

Read More